Projeto em desenvolvimento — InovAtiva

A ausência de conhecimento empreendedor

O empreendedorismo é um assunto muito presente na sociedade brasileira, popularizado na década de 90. O Brasil lidera o ranking de empreendedorismo, segundo dados do Sebrae e do (IBQP) Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade: “Na comparação mundial, o Brasil se destaca com a maior taxa de empreendedorismo, quase 8 pontos porcentuais à frente da China, o segundo colocado, com taxa de 26,7%. ” Os integrantes do grupo já possuíam grande interesse no assunto, a partir de pesquisa foi possível perceber uma ausência muito grande de ensino referente as metodologias e técnicas empreendedoras, além de uma carência mercadológica de instituições que abordam o assunto de maneira sistemática, com oportunidades para jovens empreendedores e empreendedores de classe C, D e E, independente de faixa etária ou ramo de negócio. Existem instituições que já trabalham com o tema, mas a Inovativa propõe um método inovador de ensino, preparação e orientação de forma ampla. Segundo dados do CONECTA-í:60% dos empreendedores que fecharam suas companhias não fizeram curso nessas áreas, ” dados como esse evidenciam que existe na sociedade a necessidade de cursos voltados para o profissional empreendedor, além da conscientização da importância do mesmo.

Capacitação de líderes

O grupo Inovativa acredita muito no poder dos líderes e na necessidade de liderança, seja no âmbito profissional, social ou acadêmico. Por isso, as ideias em torno de desenvolvimento de líderes são tão importantes. O time acredita que a presença de um líder com boas ideias pode impactar positivamente uma equipe. Muitas pessoas têm capacidades e habilidades importantes para o comportamento e construção de um líder — Sim! Acreditamos que é possível construir um líder — mas nem sempre essas pessoas sabem como desenvolvê-las. Essa é uma das inspirações do projeto, desenvolver e capacitar futuros líderes inovadores. Acreditamos na construção de um País melhor, através de lideranças em harmonia com as mudanças necessárias.

Deficiência na educação

O time acredita que muitos problemas sociais são consequências de uma educação muitas vezes defasada. Um estudo divulgado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), com base em pesquisa realizada em 11 países, mostrou que o Brasil é um dos cinco países que mais usam métodos mecânicos de ensino. Como exemplo, encontra-se o ultrapassado quadro negro, em detrimento de aulas com foco na capacidade de compreensão Segundo o levantamento, 40% dos alunos de séries iniciais têm, na maioria das vezes, aulas para copiar conteúdos. Cerca de 20% aprendem recitando tabelas e fórmulas e 10% repetindo frases. A precariedade das escolas também foi apontada pela pesquisa: 87% dos alunos não têm acesso à Internet na unidade de ensino e 38% estudam em colégios sem bibliotecas.

O ensino público é corriqueiramente apontado como falho, ainda que existam professores qualificados e empenhados, acredita-se que a metodologia de ensino não compõe o que seria necessário para uma educação de qualidade, uma forma de ensino que não seja para o aluno algo maçante, cansativo e desinteressante. É preciso entender e desenvolver métodos que despertem o interesse das crianças, jovens e adultos no processo de aprendizado. Quando se faz algo que gosta e que lhe desperta interesse a capacidade de aprendizado pode ser aumentada. A ideia do time é introduzir a tecnologia que será utilizada nas aulas de empreendedorismo e liderança a educação. Levar a ideia para o meio educacional do ensino fundamental, médio e até mesmo no ensino superior. Os óculos de realidade virtual serão nossas ferramentas chaves para despertar nos alunos o interesse genuíno no aprendizado.

Essas são as principais bases de desenvolvimentos do projeto Inovativa: Trabalhar o potencial empreendedor de jovens e adultos através de , preparação e desenvolvimentos de líderes inovadores e a inovação na educação de escolas de todo o País, com base social para escolas públicas carentes.

Descrição das Causas

A educação no Brasil sempre apresentou diversas deficiências que impactam negativamente a perspectiva dos jovens para o futuro. O padrão de ensino brasileiro fornece aos estudantes diversos conceitos normas e regras, e muita das vezes eles sequer sabem como irão tirar proveito delas quando concluírem o ensino médio, técnico, ou até mesmo o superior. Os conteúdos passados aos alunos brasileiros tem, obviamente, uma extrema importância. O problema é que o modo como eles são aplicados nas escolas não promove o desenvolvimento intelectual, criativo, inovador, e empreendedor dos estudantes.

A deficiência no modo como o conhecimento é fornecido aos jovens não se limita à rede pública, estando presente também nas redes particulares.

Não é difícil perceber o desinteresse dos estudantes brasileiros pela forma que os conteúdos são aplicados. Analisando a média no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) nos anos de 2014 e 2015 podemos confirmar essa falta de estímulo. Em 2014 a média nacional foi 484,0 para Ciências Humanas; 543,0 para Ciências da Natureza; 508,1 para Linguagens e Códigos; 476,6 para Matemática e 470,8 para Redação. Em 2015 as médias foram 558,1 para Ciências Humanas; 478,8 para Ciências da Natureza; 505,3 para Linguagens e Códigos; a maior parte dos candidatos teve nota entre 501 e 600 na Redação. Com as médias próximas a 50% e considerando que somente uma parcela dos estudantes fazem o ENEM, é notável a falta de interesse dos jovens cursando ou mesmo formados no ensino médio pelo modelo de estudo “padrão” do Brasil. Podemos citar também que em 2006 cerca 53% dos profissionais formados em ensino superior não atuavam na área de formação, o que reflete um desinteresse pelo conteúdo da área, além de uma falta de planejamento e gestão de carreira. Esse fenômeno tende a ser agravado pela crise econômica e financeira pela qual o país passa nos dias de hoje.

O sistema educacional brasileiro carece de aplicar e ensinar uma visão empreendedora e inovadora aos estudantes para assim promover o interesse deles pelos desafios que o mercado reserva para o futuro, afinal o mundo o precisa de constante inovação e desenvolvimento, e somente estudantes e profissionais preparados terão a devida motivação e competência para suprir as necessidades mercadológicas.

Grande parte dos brasileiros sonha em ter e gerenciar o próprio negócio (67% dos jovens), mas devido à falta de uma visão empreendedora, estímulo, e informações para colocar o desejo em prática, grande parte deles acabam desistindo. Muitas empresas se fecham antes do primeiro ano de atividade. Em 2012 a taxa de sobrevivência de pequenas e médias empresas no primeiro ano de atuação estava em 81%, logo 19% declararam falência ou fechamento, revelando a falta de estratégia e planejamento.

Caso o pensamento empreendedor estivesse presente nas escolas, cursos, faculdades, e também na cultura do brasileiro, a economia estaria melhor posicionada em relação à atual, pois haveria uma melhor gestão do mercado, o que acarretaria em uma maior credibilidade para criação de empresas e negócios, e uma menor falência de empresas.

O empreendedorismo em uma nação gera desenvolvimento e inovação nas diversas áreas do mercado, tais como tecnologia, medicina, alimentos, dentre outras, contribuindo para geração de empregos, desenvolvimento intelectual, econômico e social.

Ferramenta: óculos de realidade virtual

Óculos de realidade virtual

Os óculos possuem a função de tornar uma experiência visual virtual o mais próximo possível da realidade que nossos olhos captam no dia a dia, de forma natural e espontânea. Dessa forma se cria a sensação de o que o usuário enxerga é a realidade.

Como funcionam os óculos de realidade virtual?

Uma das bases da ilusão visual de uma nova realidade é forjar a atual. Para isso, uma simples imagem plana passada diante de nossos olhos não basta. A mesma poderia simplesmente ser encarada como algo falso. É aí que entra um dos trunfos da realidade virtual.

Reprodução/digital-photography-tips)

Com o uso da estereoscopia, a ilusão de profundidade é criada, apresentando mais um elemento de imersão para a realidade virtual. Para que isso acontece, duas imagens diferentes são geradas, uma para cada olho. O efeito consiste na interpretação do cérebro de que as duas imagens na realidade são uma só.

A tecnologia que primeiro começou com fotos, hoje é utilizada em filmes e ambientes tridimensionais gerados por computador. Tecnologias atuais como o Oculus Rift, permitem uma interpolação tão rápida entre as imagens, que o efeito 3D é impressionante.

O grande destaque desses óculos modernos é a capacidade de interagir em sincronia com o movimento da cabeça do usuário. Diferente dos óculos de cinema e brinquedos como o “View-Master”. Ao utilizar o Oculus Rift, por exemplo, a visão é completamente sobreposta por um visor 3D. A imagem gerada não permanece estática em um único ponto, ela acompanha a movimentação do usuário.

Embora não seja vista, a grande inovação de dispositivos de realidade virtual mais modernos está no rápido processamento de imagens e correção de distorção das lentes. Tudo escondido sobre camadas de drivers e softwares de execução em tempo real.

Pesquisa sobre o tema

Juventude conectada — Empreendedorismo

O interesse dos jovens brasileiros em ter seu próprio negócio é considerado um fenômeno recente. Segundo pesquisa de 2013 do Instituto Data Popular, o Brasil tem hoje 1,5 milhões de jovens empreendedores com idade entre 16 e 24 anos. E a tendência é que esse número cresça ainda mais. Ainda segundo “o Data Popular”, outros 22 milhões de jovens pretendem abrir seu próprio negócio em alguma etapa de sua vida.

Segundo uma pesquisa realizada pelo “Global Entrepreneurship Monitor” 70% desses jovens decidiram empreender por terem identificado uma atraente e promissora oportunidade no mercado e não por necessidade. O jovem que é conectado acredita na internet e a tecnologia para acelerar, contribuir e estimular a criação e o desenvolvimento de novas ideias e projetos inovadores. Abaixo incluímos alguns dados importantes, para dimensionar a presença do jovem no mercado empreendedor

Ao falar de empreendedorismo, podemos citar a internet como uma grande ferramenta de apoio. Além de viabilizar localização de suportes, artigos e pesquisas para o jovem empreendedor, abre a possibilidade de um mercado virtual.

A internet multiplicou as possibilidades na cultura, na educação e nos negócios. Empreender é uma delas. O jovem que é conectado enxerga muito bem esse potencial, acredita que a internet é sinônima de novos negócios que não existiriam de outra maneira e é uma importante ferramenta para quem deseja empreender. Saber usar a internet para tirar do papel uma ideia empreendedora, é uma habilidade importante.

Fonte das imagens: http://fundacaotelefonica.org.br/projetos/juventude-conectada/
“Hoje em dia existe um número crescente de pessoas que estão escolhendo, optando pelo empreendedorismo como um caminho”. — Eduardo Seidenthal.

A plataforma de desenvolvimento de empreendedores é uma metodologia inovadora: Prepara jovens de periferia urbanas ou zonas rurais para que gerem e programem — preferencialmente com o uso da tecnologia — novas soluções e oportunidades para a transformação de suas vidas e seu entorno (resolução das necessidades de suas comunidades).

Divide-se em três pilares de atuação:

Fonte da imagem: Revista PGNE

Plataformas como essas, são desenvolvidas com a intenção de ampliar o mercado empreendedor, desde os pequenos negócios até os mais extensos. Muitos jovens de comunidades carentes e periferias buscam uma forma de contribui financeiramente em casa, quando não encontram emprego, buscam maneiras empreendedoras — ainda que desconheçam — para obterem renda. Jovens que vendem bala, pipoca, doces, sorvetes, serviços de revenda, entre outros, são empreendedores em potencial, muitas vezes sem instrução. O objetivo de programas assim é justamente levar a orientação.

Outro dado importante em torno das ideais do time Inovativa é uma metodologia no setor educacional. Considerando que algumas metodologias adotadas já são consideradas ultrapassadas (link sobre a matéria ao final), a tecnologia possui potencial para ser a inovação desse setor, que é indispensável para formação de cidadãos promissores socialmente e profissionalmente. A aposta do time baseia-se na integração de óculos virtuais em algumas disciplinas do ensino fundamental, médio, técnico e podendo ser estendido para o ensino superior. Existem estudos que comprovam a eficácia da ferramenta.

A tecnologia apresenta índices crescentes, e têm se mostrado uma importante aliada para desenvolvimento da educação. (link sobre as matérias ao final). É essencial o investimento na educação, desde o ensino fundamental, para que isso seja levado por toda a vida acadêmica do aluno.

Tópico 4: Consideração de ideias

Frente a toda essa necessidade do brasileiro pelo conhecimento empreendedor, a Inovativa surge com o propósito de oferecer conteúdo de qualidade sobre empreendedorismo para pessoas das mais diversas áreas e idades.

Nosso foco é transformar pessoas em empreendedores, para que estes saibam como se posicionar no mercado, nas empresas, e na vida, tornando-se assim verdadeiros líderes.

A Inovativa realizará cursos focados em empreendedorismo e liderança de uma forma inovadora, de modo a despertar o interesse dos alunos. A forma diferenciada pela qual o conteúdo será passado visa aumentar a produtividade e a motivação dos estudantes do curso, afinal não basta ter conteúdo de qualidade se o mesmo não é transmitido com uma dinâmica interessante e favorável ao aprendizado.

Serão aplicados cursos a distância e presencias, divididos entre aulas e palestras para profissionais, estudantes e empresas. As aulas terão uma maior interatividade dos alunos, não se limitando somente ao quadro na parede. A ideia é trocar experiências e fornecer instruções e conteúdo de forma construtiva e dinâmica. As palestras abordarão temas atuais, com uma metodologia que despertará o empreendedor existente em cada pessoa.

Como ferramenta chave, utilizaremos uma plataforma de realidade virtual, a princípio através dos óculos de realidade virtual, para que desse modo os estudantes do curso enxerguem de perto e de forma “viva” os horizontes do empreendedorismo e a importância da liderança na vida corporativa e pessoal.

A Inovativa irá realizar além dos cursos, visitas técnicas e consultorias para pessoas e empresas que estejam precisando de um apoio específico, mantendo também nesses casos o método dinâmico e inovador. Dessa forma visamos fazer com que empresas saibam como superar e transpor os desafios mercadológicos.

Temos em nossos valores a importância de também atuar com cunho social, e para isso iremos fornecer bolsas do curso para pessoas e empresas de regiões desfavorecidas financeiramente, para assim ensinar o imensurável valor do empreendedorismo de forma socialmente justa e fornecer/financiar os óculos de realidade virtual — utilizados nos cursos — para escolas carentes.

Fotos — Empreendedorismo

fonte:http://partiuplanob.com.br/a-pipoca-do-valdir/http://www.rj.gov.br/web/imprensa/exibeconteudo?article-id=1065703

Fotos — Liderança

Fotos — Educação

A educação está na essência da ideia que deu origem a InovAtiva. Dessa forma, o time considera importante uma forte atuação nesse meio. Para isso, óculos de realidade virtual serão utilizados como ferramenta chave em todos os níveis da educação. Com uma atenção financeira para escolas mais carentes.

Umas das vantagens da realidade virtual, são suas várias aplicações nas mais diversas áreas da educação. Pode ser aplicada desde o ensino fundamental até o ensino superior.

http://www.tudocelular.com/samsung/noticias/n69617/galaxy-vr-escola-japao.html

Alguns projetos têm sido criados a partir das possibilidades atuais, como aplicativos para celulares. O Homem Virtual é uma iniciativa dos professores doutores György Miklós Böhm e Chao Lung Wen, da Faculdade de Medicina da USP, e apresenta um novo método para transmitir conhecimentos sobre saúde de maneira interativa. Essa mesma ideia pode ser aplicada em várias outras áreas do conhecimento, sendo desenvolvido conteúdo específico.

http://www.palpitedigital.com.br/wp/2016/04/05/oculos-realidade-virtual-aplicacoes-serve/

A realidade virtual cria uma “proximidade” maior entre o aluno e o conteúdo. Com isso, é possível explorar ainda mais do assunto.

http://www1.folha.uol.com.br/tec/2015/10/1688859-oculos-de-realidade-virtual-fazem-alunos-viajarem-sem-sair-da-escola.shtml

A aplicação da realidade virtual na educação, pode abrir caminhos para uma nova metodologia de ensino mais eficiente.

Pesquisas

Em pesquisas realizadas pelo time, foi possível verificar que a maior parte das pessoas entrevistadas (jovens e adultos), considerar ter conhecimentos sobre o que é empreendedorismo, mas afirmam o interesse de aprender mais sobre o assunto.

A pesquisa apontou também a importância do empreendedorismo e como é importante a presença de um líder inovador dento de uma empresa.

As pesquisas foram realizadas entre os dias 14 e 25 de Maio de 2016. Foram entrevistadas cerca 37 pessoas entre jovens e adultos, 16 empresas de pequeno, médio e grande porte.

entrevistas

5 entrevistas com pessoas impactadas: 2 empreendedores, 2 Líderes, 1 Estudante.

O grupo realizou algumas entrevistas, com pessoas impactadas pelas oportunidades e necessidades que a InovAtiva vai trabalhar:

A primeira entrevista foi realizada com a fotógrafa Polyana dos anjos, empreendedora aos 21 anos:

1) Como tudo começou?

Polyana: Bom, eu estava desempregada e sempre gostei muito de fotografia. Comecei a me especializar fazendo alguns cursos básicos, fui treinando e fazendo mais cursos, e então resolvi começar meu próprio negócio com um estúdio improvisado e a divulgação era feitas através de redes sociais, no início eu não tinha muito apoio, mas não desisti.

2) Qual a área de atuação da sua empresa/negócio?

Polyana: Trabalho com fotografia e eventos.

3) Quantos funcionários ativos?

Polyana: 1 atuante e um 1 auxiliar.

4) Quanto tempo possui a empresa/negócio?

Polyana: Estamos no mercado a 1 ano e 6 meses.

5) Qual seu grau de formação?

Polyana: Ensino médio.

6) Fez algum curso na área de empreendedorismo/administração? Se não, pretende fazer?

Polyana: Apenas um curso básico de processo administrativo no SENAI.

7) O que te motivou a abrir o próprio negócio?

Polyana: O gosto pela fotografia sempre esteve presente, no decorrer de algumas decepções com empregos fixos me fez querer algo que fosse meu e que eu trabalhasse com gosto, com amor.

8) Quais as maiores dificuldades da empresa/negócio enfrenta ou já enfrentou?

Polyana: Com a atual crise em que o nosso país se encontra o público que procura pelo meu trabalho diminuiu, o mercado saturado também é um grande problema.

9) Porque escolheu essa área de atuação?

Polyana: Por já gostar e me simpatizar pela área da fotografia, o envolvimento com crianças que a minha área me proporciona também foi um grande impulso para escolher.

10) Qual a maior necessidade da sua empresa/negócio hoje?

Polyana: Ter renome no mercado e alcançar um público maior.

11) Quais são suas maiores preocupações?

Polyana: Investimentos e proporcionar o melhor para o meu cliente.

12) Você investiria tempo e dinheiro em cursos sobre empreendedorismo/administração?

Polyana: Sim, com certeza.

13) Qual o planejamento para o futuro, com relação a empresa/negócio?

Polyana: Montar um estúdio que atenda o meu público alvo, divulgação maior do meu trabalho e com isso contratar funcionários para que o negócio cresça .

O segundo entrevistado, foi empresário Gilson Carvalho, dono de uma conservadora:

1) Como tudo começou?

Gilson: Eu sempre sonhei em ter meu próprio negócio, então resolvi arriscar, sai do meu antigo emprego, onde eu trabalhava a pouco mais de 15 anos e investi o dinheiro no meu negócio.

2) Qual a área de atuação da sua empresa/negócio?

Gilson: Administração e conservação de condomínios.

3) Quantos funcionários ativos?

Gilson: Um total de 18 funcionários.

4) Quanto tempo possui a empresa/negócio?

Gilson: Pouco mais de 5 anos.

5) Qual seu grau de formação?

Gilson: Infelizmente o ensino médio incompleto.

6) Fez algum curso na área de empreendedorismo/administração? Se não, pretende fazer?

Gilson: Não, nunca fiz. E tenho sim muita vontade, mas a minha idade me desmotiva, Já passo dos 50.

7) O que te motivou a abrir o próprio negócio?

Gilson: A vontade de ter algo próprio.

8) Quais as maiores dificuldades da empresa/negócio enfrenta ou já enfrentou?

Gilson: O setor administrativo é uma bagunça, eu realmente não tenho controle, terceirizo o serviço por não ter domínio, e isso me faz sentir que não tenho controle de nada.

9) Porque escolheu essa área de atuação?

Gilson: Era o que eu sabia fazer, e eu gostava.

10) Qual a maior necessidade da sua empresa/negócio hoje?

Gilson: Conhecimento empreendedor, administrativo e novos clientes.

11) Quais são suas maiores preocupações?

Gilson: Não consegui manter a empresa, estamos com problemas já faz tempo. A empresa é pequena, às vezes sinto falta de alguém acreditar.

12) Você investiria tempo e dinheiro em cursos sobre empreendedorismo/administração?

Gilson: Sim, com certeza. Mesmo que eu não fizesse, meu filho que trabalha comigo faria.

13) Qual o planejamento para o futuro, com relação a empresa/negócio?

Gilson: Tomar frente do negócio, ser referência no mercado e crescer bastante. Sei que precisarei repensar algumas ações realizadas na empresa para isso e buscar preparo.

Foram entrevistadas nessa etapa, duas pessoas que ocupam cargos de liderança. A InovAtiva presa muito a formação de líderes, com o objetivo de formar líderes inovadores, mas para isso consideramos importante ouvir quem já participa de atividades em que são considerados líderes. A primeira entrevistada foi a Lais de 16 anos, líder na sua turma do ensino médio.

1) Você se considera um líder? Por quê?

Sim, me considero. Sou líder de turma, já fui líder em grupos da igreja que frequento.

2) O que é liderança para você?

É estar envolvido em algo, orientar, muitas vezes estar à frente, mas não sempre.

3) Que diferença faz um líder em uma sociedade/empresa?

Em uma empresa eu não sei explicar muito bem, mas sei que na sociedade muitas vezes é preciso que alguém tome frente para motivas as outras pessoas.

4) Característica essenciais de um líder?

Saber ouvir, saber como falar e ser responsável. Muito responsável.

5) Qual a maior dificuldade de um líder, na sua opinião?

Ser imparcial, e não parecer chato quando se tem que fazer algo chato. E não ser alvo de críticas, porque as pessoas estão sempre de olho, e se você errar elas irão te apontar.

6) Você considera que exista líderes bons e ruins? Por quê? Qual o impacto que eles podem causar?

Sim, com toda certeza, se existem pessoas boas e ruins, também existe líderes assim. E o impacto que eles podem ter, é baseado nas suas ações. Se forem bons líderes, podem gerar muitas coisas boas, sendo líderes ruins podem não saber direcionar ou motivar as pessoas.

7) Você investiria tempo e dinheiro para desenvolver habilidades de liderança?

Acredito que sim. Eu gosto de ser líder, mas sinto que é muito mais do que eu conheço, e eu gostaria de me envolver e conhecer mais.

A segunda entrevista foi a Elaine Alves, Líder em algumas ações em sua comunidade e j´foi líder de equipe em seu antigo trabalho:

1) Você se considera um líder? Por quê?

Sim, me considero. Eu tomo frente das coisas, pego e faço. Às vezes as pessoas estranham um pouco, mas depois acabam me reconhecendo por isso. Fica claro que não faço por mal;

2) O que é liderança para você?

Estar à frente de algo, mas não com “nariz em pé”. É preciso ter humildade e saber incentivar a equipe.

3) Que diferença faz um líder em uma sociedade/empresa?

Nossa! Faz muita diferença, sem um líder você corre grande risco de ter uma equipe desmotivada, ou uma sociedade “muda” diante dos problemas que ela passa. Algumas pessoas precisam de um empurrão, se não elas não saem do lugar.

4) Característica essenciais de um líder?

Um líder tem que ser humilde, simpático e responsável. Tem que saber ouvir, tem que muitas vezes ser imparcial.

5) Qual a maior dificuldade de um líder, na sua opinião?

Não tomar partido e não parecer arrogante por às vezes não concordar com alguma coisa. Essas coisas não são fáceis de lidar. É preciso paciência.

6) Você considera que exista líderes bons e ruins? Por quê? Qual o impacto que eles podem causar?

Algumas pessoas lideram pelos motivos e causas erradas, não estou querendo julgar. Mas por trás de algo grande muitas vezes tem um líder. Seja isso algo bom ou ruim. Quando se concretiza vem à tona seus resultados, se o líder direcionar mal, não ter como seguir um bom caminho. O líder tem que ser sábio, e tem que transmitir sabedoria.

7) Você investiria tempo e dinheiro para desenvolver habilidades de liderança?

Não sei bem como faria isso, mas havendo a oportunidade eu investiria sim. Eu julgo isso muito importante, me preocupo em ser boa líder.

Roteiro de entrevista — Educação (1 Criança)

Walik tem 10 anos, e foi o entrevistado na categoria de educação. Onde buscamos conhecer um pouco mais de forma mais profunda como é para as crianças estar na escola e como é o processo de aprendizado:

1) Você gosta de ir para escola? Por quê?

Não! Não! (risos) a escola é muito chata. Não tem nada de legal lá, eu não sou preguiçoso, mas na hora de ir pra escola (risos) eu nunca quero ir.

2) Qual sua matéria preferida?

Acho que é ciências, porque eu adoro os animais, adoro peixes e tubarões. Quando fala das partes do corpo também gosto, mas a minha preferida é dos animais.

3) Qual matéria você não gosta de estudar? Por quê?

Matemática e português. É chato e difícil às vezes.

4) Você realmente aprende quando está na escola? Ou sua maior preocupação são as notas?

As vezes sim, as vezes não. Depende… Às vezes eu aprendo lá na escola, ai chego em casa pra fazer o pra casa e já esqueci tudo. Minha Vó fala que não presto atenção, eu presto sim. Só que não consigo guardar tudo que a professora fala. Ela fala muito, muito. É muita coisa. Como vou gravar tudo em um dia?

5) O que é mais divertido na escola?

Aula de artes e educação física quando é futebol. Não gosto de vôlei e nem sei jogar.

6) O que você mudaria na escola?

Todas as aulas seriam divertidas, ia ter computadores nas salas, ia ter merenda todo dia e mais passeios.

7) Você acredita que estudar possa se tornar uma coisa legal?

Eu não sei, mas seria muito legal se fosse, porque a gente estuda muito, e todo mundo ia conseguir aprender sem esquecer depois.

Motivação do time

A motivação do time se deu pelo conjunto de áreas de interesse dos integrantes, sendo elas educação, inovação e liderança. Para isso o grupo promoverá uma junção dessas áreas para ensinar empreendedorismo, focado na formação de líderes.

O time entende que esses pilares (educação, inovação e liderança) podem ser propulsores para tornar o mundo melhor, sendo a principal vertente adotada pelo grupo.

Infelizmente no Brasil não há esse tipo de incentivo, mesmo sendo um dos países com grande taxa de empreendedorismo. Para os pesquisadores, os países em desenvolvimento aparecem em posições superiores no ranking de empreendedorismo, pois empreender se torna opção para períodos de alto desemprego e economia fraca. Logo os empreendedores nascem por uma necessidade, não com real intenção de melhorar o país. Isso gera uma falta de suporte para os empreendedores, que aliado à falta de especialização nas diversas áreas empresarias, enfrentam muitas dificuldades para achar o caminho para o sucesso.

A Inovativa nasce com a intenção de criar lideres nas mais diversas áreas e pessoas melhores com a real intenção de transformar sua cidade, seu estado, seu país e quem sabe o mundo.

“Acredito na inovativa, pois precisamos inovar, mudar e ser diferente. Um bom líder é impulsionado por novas ideias, novos objetivos, e muito além disso é o principal motivador de uma equipe. Hoje vemos que no nosso cotidiano esse papel de líder está se desfazendo, pois muitos preferem ser chefes ao invés de líderes. Um líder é aquele que ajuda a carregar a carga junto com sua equipe e hoje infelizmente isso é algo raro no empreendedorismo.” — Giuliane Braga
Todo mundo fala que o Brasileiro tem uma natureza empreendedora. Pode até ser verdade mas vale ressaltar que qualquer empreendedor tem mais sucesso se for bem guiado e orientado. Existe orientação, mas infelizmente elas não são de fácil acesso, são muito caras. O que me motivou a estar no INOVATIVA foi o fato de estarmos focados na junção das áreas de liderança, educação e inovação para ensinar o empreendedorismo, focado na formação de líderes. Me sinto muito animada e motivada com esse projeto pois estamos fazendo algo pro futuro que irá ajudar muitas pessoas que não tem fácil acesso ao mercado empreendedor.” Jessica Amorim
“O que me motiva neste projeto é a metodologia que será usada para formações dos líderes, o empreendedorismo, ele é a chave da transformação. Pode se dizer que ele “cria” pessoas melhores, e com pessoas melhores no mundo em que vivemos ele se torna um lugar melhor. Em uma entrevista Mario Persona disse algo muito relevante sobre a importância do empreendedorismo:
“Nada acontece sem pessoas empreendedoras, com visão e disposição para mudar as coisas. O empreendedor é inquieto, percebe coisas erradas ou que podem ser melhoradas e parte para a ação”
Nesta fala ele enfatizou vários pontos importantes do empreendedorismo, o mundo precisa de empreendedores, e eu quero ajudar nesta missão.” Max Willian
“Eu tive minha vida transformada de uma maneira muito positiva a partir da educação, e essa mudança não seria possível se não houvessem oportunidades. Mas sei que essas oportunidades são poucas, e estar em um time que tem um olhar voltado para ampliação de oportunidades é uma coisa incrível. Apesar de estar em processo de criação, eu sinto verdade em toda ideia que é expressada. É como se eu já pudesse projetar os resultados da Inovativa no futuro. No futuro de pais de famílias que projetam e idealizam seus sonhos em um empreendimento, dos jovens que criam suas próprias oportunidades e crianças que se divertem ao estudar.” Laiene Carvalho.
“Eu sempre quis trabalhar com algo que eu goste, quando surgiu a ideia da Inovativa, eu não pensei duas vezes. Tecnologia e educação são duas paixões, ainda mais com a junção da realidade virtual.” Shigery Sasaki.
“Acredito no potencial da Inovativa, pois grande parte dos brasileiros sonha em empreender de forma eficiente. Mas precisam de orientações e métodos de ensino inovador, para assim estarem preparados para entrar em ação”Natan Alves

Abaixo alguns links para consultas adicionais.

http://fundacaotelefonica.org.br/projetos/plataforma-de-desenvolvimento-de-empreendedores-pde-2/

http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,tecnologia-vai-impulsionar-crescimento-no-segmento-educacional,1662394

http://fundacaotelefonica.org.br/projetos/juventude-conectada/

http://revistaescola.abril.com.br/blogs/tecnologia-educacao/

http://br.monografias.com/trabalhos3/lideranca-importancia-lider-dentro-organizacao/lideranca-importancia-lider-dentro-organizacao.shtml

http://areadeconhecimento.com.br/formando-lideres/

http://exame.abril.com.br/topicos/empreendedorismo

http://exame.abril.com.br/pme/noticias/brasil-e-pais-mais-empreendedor-do-g20

http://www.tecmundo.com.br/realidade-virtual

Fonte das imagens utilizadas no relatório:

http://partiuplanob.com.br/a-pipoca-do-valdir/

http://www.tudocelular.com/samsung/noticias/n69617/galaxy-vr-escola-japao.html

http://www.palpitedigital.com.br/wp/2016/04/05/oculos-realidade-virtual-aplicacoes-serve/

http://www1.folha.uol.com.br/tec/2015/10/1688859-oculos-de-realidade-virtual-fazem-alunos-viajarem-sem-sair-da-escola.shtml

http://www.rj.gov.br/web/imprensa/exibeconteudo?article-id=1065703

https://www.youtube.com/watch?v=_7RqcPJBRwY

http://www.agenciasebrae.com.br/sites/asn/uf/NA/microempreendedor-paranaense-obtem-certificacao-do-pas,e1eac76d4000d410VgnVCM2000003c74010aRCRD

http://www.meuplanodenegocios.com.br/blog/tag/mei/

http://www4.fabricacom.com.br/jaragua-sul-tem-primeira-incubadora-de-microempreendedor-individual-brasil/

http://cersimachado.com.br/blog/somar-da-lideranca/

http://canaltech.com.br/materia/educacao/como-a-realidade-virtual-pode-mudar-a-educacao-52092/

http://aragogue.ufrgs.br:8001/rid=1168393091250_346349195_1464/Realidade%20Virtual.cmap

https://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&ved=0ahUKEwj1xMmQq6jMAhUGF5AKHTAZC2IQjhwIBQ&url=http%3A%2F%2Fexame.abril.com.br%2Frede-de-blogs%2Fsidnei-oliveira%2F2013%2F07%2F16%2Fautoconhecimento-o-principio-da-lideranca%2F&bvm=bv.119745492,d.Y2I&psig=AFQjCNFX1e2xs4uoKOa3u-4Vjn85wK3RyA&ust=1461623793848665

http://ofuturodascoisas.com/como-as-tecnologias-vestiveis-irao-revolucionar-a-educacao/