www.freepik.com

Tô ficando com o empreendedorismo

Sobre as incertezas de empreender ou não

A gente tá só ficando. Ainda não me preparei para alterar o status no Facebook e nem o apresentar no almoço de domingo para aquela minha tia. É que na verdade a gente ainda está se testando. Namoro é coisa séria. É tornar oficial. E quando é oficial vem um caminhão de cobrança junto: “Para quando é o casamento? E o filho? ”. Aí já viu né. Pessoal já quer saber o endereço do escritório, onde está o cartão de visitas e quantos funcionários você já tem.

Eu, com todas as minhas inseguranças possíveis, ainda não gritei aos quatro ventos que o amo e que pretendo começar a namorar. Ainda não achei um modelo de negócio… Ops, um modelo de relacionamento para nós dois. Talvez o melhor fosse um relacionamento aberto: hoje, terça de manhã, te quero! Sábado à noite, não mais. Ficarei com meu sofá e Netflix.

Mas é isso, não me sinto pronta para torná-lo oficial. Até comento com alguns amigos: “Poxa, eu queria montar minha empresa, mas…”. E é esse “mas” que impede que eu altere meu status de solteira para namorando. É aquele friozinho que dá na barriga, o medo da decepção, de ser traída, de no fim não dar certo e ouvir de alguém “Viu, eu avisei que ele não era para você”.

O empreendedorismo também não sabe se me quer: “Não quero namorar com alguém que tenha dúvidas sobre o seu amor por mim”. Porque é isso. Para ele é tudo ou nada. Não existe essa de gostar um pouquinho, namorar de vez em quando. Não dá para colocar só a pontinha do pé na água. Tem que se jogar. E por enquanto ele está aceitando essa nossa pegação porque ele ainda tem esperança de me conquistar por inteiro.

E ele vive jogando seu charme para cima de mim: um ebook ali, uma história de sucesso aqui, um papo bacana com alguém que já se casou com ele e por aí vai. Ele fica me tentando a todo momento, me leva para jantar e diz: “Vai, namora comigo. Se assume. Monta seu plano de negócios, pega o que você ama fazer e transforma em algo sério comigo”.

E ele não desiste, pois sabe que a rendição é apenas uma questão de tempo. No fundo, somos todos responsáveis pelas nossas escolhas. Mas em alguns momentos parece que a vida vem e faz as partes do quebra-cabeça se juntarem de uma forma que não é mais possível separar. Como se apenas tivéssemos um caminho, uma solução, e a única possível seria empreender nossos próprios sonhos.

O que falei faz sentido para você? Deixa seu recado aí embaixo!

Gostou? Recomende! Quem sabe não achamos outros “ficantes” por aí.