ortopedia da palavra V

da casa da sabedoria de bagdá (beit al-hikmah) se anuncia a mística dos fluidos através da geometria mundana.
apreciação das tâmaras pelos trinta pássaros de uma tamareira

ن estórias sem fim
 e quando o corpo não resiste, como persiste? embriagado de leite da ama, maravilha-se com a continuidade do mundo. irresistível a sua beleza, ao mirá-la, sente-se atravessado por um intenso fluxo sanguíneo, etéreo, empíreo? bela, porque pródiga em suas proporções. a perfeita simetria dos lábios de rainha se apresenta à maior das miúdas bocas, antes, como um labirinto, onde a perfeição confunde as gentes. o esforço desperto da fluidez se perde assim em descaminhos. mas a força não tem descanso nem em lugar nenhum. quando não se realiza o esforço até o fim, ela não se esvai, quer dizer que se deve continuar suportando-na. são estórias sem fim que, por isso, não podem terminar por ser contadas. prenúncio da desproporção na concatenação de estórias.

س narrativa (ihlah)
 para contar uma estória até o fim, seja cumprida. é como guardar sob a língua uma jóia rara. o sorriso de nezam reluz de um belo inesperado, abriu um colar de pérolas. aquele que a admira, sorri uma vez e rasga os lábios para sempre. não reexiste à criação. que tal beleza seja rara, não se diz o insuportável. apenas no saudável o esteio da moléstia. assim como o sol não se apaga com o cerrar dos olhos, que não se note, não quer dizer que não exista. mas o saudável também se constitui a partir de suas mazelas, como um cavalo de dorso já abaulado pelo peso do cavaleiro continua, ainda assim, seu trote. de uma ação que se esvai antes do fim, emergem oceanos de ações ao seu redor. todas sem fim. estouro de íntima boiada. buscando dissolver a tensão gerada pelo esforço deslocado (pretensão), a ortopedia, quando orienta o caminho fluido, constitui, por fim, uma narrativa.

ع couro de mouro, coração de leão
 o sertanejo sabe que de nada adianta, resolvido de vontade, aguardar na cancela que o estouro da boiada se contenha, apenas pelo fato de que pela porteira só passe uma cabeça por vez. é preciso que, venha no cavalo selado, percorra no entorno das reses o caminho que é do laço. o couro ardido, atinando o atrito com as rédeas: no coração da noite, um rebanho se orienta pelo infinitude dos céus. alumiando o chão onde pisa.

ف apreciação das estórias (ar-riwaya)
 se o corpo se reorganiza em torno da falha, é por onde a beleza se esvai. a ortopedia observa a partir das vértebras de um eqüino que, para orientar um rebanho, deve-se, ao menos, ir a ele. assim, a doutrina do mais próximo aponta a um caminho suave. pensando ao rés do chão, examina-se as reses em altura de raízes. e, assim, se conduzem as cabeças. remanso da boiada, no estouro das forças, em que se lava o rosto. água boa que deságua. e, por isso, torna a minar. a ortopedia se mostra hábil, durante a viagem, em contar estórias.