“Criminalizando a Política”

Ou como se pode dizer um monte de mentiras contando só meias verdades.

Bata no google (ou numa mais insuspeita… duckduck) as palavras “criminalizar a política”. Você vai encontrar trocentas “autoridades”, muitas delas hoje, enroladas ou suspeitas repetindo essa meia verdade. A último e melhor delas foi o “protegido”de Gilmar, Toffoli: Não pela incoerência mas como disse pela habilidade de falsar o real com argumentos verdadeiros.

Notem como ele amarra a verdade que o não será o judiciário a corrigir o problema da democracia, a falacia de que não devemos criminalizar a politica. Como ele advoga não apenas pelos privilégios do fóruns políticos, mas para insinuar o que lhe interesse como membro e representante de uma classe ainda que em outro poder: a imputabilidade dos criminosos políticos.

É claro que não devemos criminalizar a politica, não devemos criminalizar a economia, a policia, nem mesmo o Estado, ninguém pode ser criminalizado, mas fazer disso o álibi para absolver os criminosos pode não ser um crime mas é de uma canalhice ou alienação estatal sem par. A lógica do argumento como a própria justiça está virada ao inverso, ou seja pervertida. Ora não é a politica que não pode ser criminalizada em hipótese alguma, é a politica que não deve jamais se criminalizar. O que ele pede não nem o respeito por direitos mas privilégios de imputabilidade que não são reservados nem aos bandidos mais ricos e diplomados, mas só aos reis e tiranos. E ainda diz que não se submeter entregar a desigualdade de autoridade, a tamanha distancia entre o direito e dever cidadão comum e os privilégios dos seus governantes, isso é o caminho para ditadura e não a preservação do poder como máfia!

Mas por que só agora estou rebatendo essa afirmação antiga e recorrente agora? Ora é porque não sou eu que estou contrariando a falsidade desses discursos, mas a dura realidade que não obedece lei natural que nenhuma retórica ou prerrogativa de autoridade consegue subverter: as leis de causas e consequências.

Esquece o lixo que te falam, e olhe para os eventos que estão explodindo na sua cara: não vou nem falar de Lava-Jato.

Olhe para esses políticos que estão sendo assassinados. Será que a política foi criminalizada ou está a ser praticada por criminosos comuns? E não é de hoje…

http://www.estadao.com.br/tudo-sobre/sangue-politico

Temos uma politica pura feita dos homens mais puros do Brasil? Ou temos um bando de criminosos resolvendo como bandido e coronel resolve seus divergências desde o tempo do onça: na bala.

Não vossas excelências nos não devemos estar atentos para que a politica não seja criminalizada, Temos é que ficar muito espertos mara que vocês depois de se praticarem todos os seus crimes e ainda resolver na bala, jogarem a culpa de novo em cima do povo.

Fiquem atentos porque daqui a pouco acerto de conta entre mafioso com foro privilegiado, queima de arquivo entre ex-comparsas, vai virar assassinato de algum black block revoltado, crime de ódio de uma sociedade ingrata e revoltada contra esses santos, esses mártires e guias iluminados da democracia que como disse a deposta eles não representam: eles são!

Eles vão se matar e mandar matar, e a culpa será de quem? Ora de algum meliante, algum “criminoso comum”. Se deixar eles não param nunca. Esse é o verdadeiro passo para a ditaduras. A culpa nunca é de deles. A culpa nunca é de ninguém. E se precisar culpar alguém a culpa então é da vitima e quanto e se não tiver bandido ou presidiário disponível, qualquer preto pobre serve.

Depois a gente não sabe porque nazista famoso veio se esconder aqui na America Latina. Se o holocausto fosse no Brasil a culpa seria evidentemente dos judeus. È claro. Qual era a lei e a ordem. Então pronto. Onde já se viu querer criminalizar autoridades?

Se tribunal de Nuremberg fosse aqui até Hitler e Stalin seriam inocentados e isso independente de quem estivesse no poder. Ele punha a culpa no subordinado, o subordinado no chefe. E todo mundo sairia livre e bola frente que ano que vem que vem tem carnaval. Ninguém sabe de nada, ninguém ordenou nada, ninguém obedeceu nem desobedeceu nada. Ops, merda acontece. Tipo Carandiru. Nisso o Brasil sempre foi primeiro mundo. Aqui tudo é desastre. Nada é crime. Em Allepo ou Dafur quem você acha que irá a julgamento por seus crime contra a humanidade?

A dinâmica dos centros de poder sempre totalitária, a culpa nunca é dos mais privilégiados, mas sempre dos mais marginalizados em tudo.

Violência na politica? A culpa nunca é dos políticos, das autoridades. Obvio que é dos viciados, dos traficantes, dos bandidos, comuns. Gente que cresce na pobreza e violência sem nada porque advinha no bolso de quem foi parar a parte do patrimônio que deveria servir também a eles? Claro que nem todos que tiverem oportunidade vão melhorar, muitos vão ser ainda piores que bandidos, vão virar criminosos políticos. Mas esse é o ponto eles são um problema é claro, mas não a raiz, nem as cabeças. Isso é mais uma (meia-verdade) para esconder a grande figura. Para você não ver o todo, ou melhor os todo poderosos sentados em cima de todo mundo.

Qual é a raiz do problema do brasil, da violência, pobreza, ignorância? Ora são as desigualdades de direitos (e deveres) e elas como os crimes não acontecem, elas tem dono, mandantes e beneficiários. E vocês estão entre eles vossas excelências, com suas prerrogativas demagogia e hipocrisia.

Eles falam dos perigos da justiça quando ela chega até a sua classe social e politica e periga de bater a sua porta, (até deram para citar Brechet agora, vejam só), mas se esquecem que os pretos e pobres já estão sendo levados faz tempo e quem preferiu não ouvir seus gritos e se banquetear junto com os que os matavam foram vocês.

Não não vou por a culpa no fascismo que emerge neles. Nestes falsos humanistas e progressistas. Os fascistas e racistas são o que são porque odeiam o outro, e vão continuar odiando, tenham o suporte da sua demagogia e hipocrisia para não parecem tão monstruosos quanto são. Mas o fato é que essa ideologia que cresce no mundo cresce agora sobretudo nas costas na comparação com a sua incoerência, desconexão da realidade e falsidade ideologia.

Os neopopulistas e protonazifascistas estão brincando com os discursos desses velhos demagogos como o predador brinca com sua presa: ora eles fingem que seus exageros são apenas mentira descarada como a deles também, propaganda, ora para monstrar que eles não são falsos como eles, marionetes e que tem coragem de se apresentar e representar o que seus apoiadores pensam mas ninguém teve a coragem dele para dizer sem medo da recriminação destes hipocrítas. Sim seu logica do absurdo só funciona porque do outro lado, há quantidades imensas de demagogia e hipocrisia para eles se alimentarem.

E há porque os falsos humanistas e progresistas:

Primeiro, não estão dispostos as assumir, seus erros.

Depois porque não estão dispostos a largar dos seus privilégios, E sobretudo não estão disposto a gastar seu tempo e dinheiro praticando o que falam. Enfim porque insistem em atacar quem denuncia sua falta de compromisso entre a moral pregada e a praticada como sendo inimigos de tudo que é certo.

E novamente você não precisa acreditar no que estou dizendo para entender essa simbiose maldita. Veja ela autodenunciada na boca… de quem se confessa abertamente suas tendencia e pretensões genocidas com todas as palavras. Leiam o que ele diz:

E notem como tenta usa a mesma contabilidade utilitarista da civilização das democracias liberais para declarar que não só o que ele fala mas as atrocidades que ele pretende fazer não são nada se comparado aos crimes das civilizações ocidentais. E o que disse o líder maior da moral crista-ocidental decadente. Como ficam nossos crimes de guerra, nossa crises humanitárias, literalmente ao deus dará:

Mas deixemos a igreja católica em paz e voltemos para os neopopulistas. O presidente das Filipinas não é uma exceção. Apontar para está incoerência para se fazer mais “verdadeiro”, é a base de todo os argumentos da extrema direita. Vide Trump. Esse tipo de está tendo sucesso para se vender como o novo, porque de fato quem está no poder insisti com um discurso que perante a nova sociedade da informação não se sustenta senão como é sem a embalagem: propaganda enganosa de algo vazio, ou pior, do oposto do que realmente faz.

O problema senhores é que as farsas das representações caíram. Como caiu a Igreja frente a reforma protestante, quando a difusão da imprensa. Poder não é conhecimento é monopólio. Quebre as bases do seu monopólios os poderes ruem com seu peso insustentável.

Já era. Para fazer frente a extremistas de direita com policiamento ideologico e judicial, os falsos defensores da humanidade e progresso, vão ter que dobrar a aposta da imbecilização das massas. E podem ter até vencer mais uma batalha, mas será uma vitória de pirro, porque quanto mais vigiada, imbecilizada e carentes forem as populações mais vulneráveis elas estarão ao delírio coletivo destes extremistas.

É preciso colocar em prática a justiça, a igualdade e liberdade que todos adoram adoçar seu discursos. Achar que todo mundo é idiota e que só ele sabe das coisas, dá uma força extraordinária aos neopopulismo de direita. Que não está pedindo para as pessoas serem melhores do que são, mas cederem aos seus medos e ódios mais primitivos e se entregarem a eles.

Em suma: não adianta ficar falando em democracia. Mas na hora H, dizer: mas veja bem, vocês ainda não estão preparados. deixe que nos guiemos vocês. Não dá mais para dizer que todos tem direito a uma vida com dignidade, mas na hora que se toma o poder, dizer: mas veja bem não temos recursos para todo mundo, e tem que me dar algo em troca, se quiser receber algo de mim…

Acabou. Falsificar a realidade com os velhos discursos, promessas e retórica não funciona, porque quer vocês gostem ou não o velho mundo acabou e a realidade deste nova atualidade está batendo na porta como fatos.

As telecomunicações e informatização mudou o sistema de produção e não adianta mais o burguês que se acha progressista ficar achando que é melhor que o outro conservador porque não toca seus escravos com chibata. A era da escravidão política e assalariada acabou. assim como outrora seus antepassados donos de escravos tiveram que abandonar o mito do bom senhor e do bom patrão quando chegou a revolução industrialização, vocês terão que abandonar o mito do bom politico. E para não dizer que não falei das exceções que confirmam a regra tá ai uma:

Ela não é irrelevante. Mas a própria classe politica, o próprio sistema politico trabalha para jogá-la a irrelevância. A exceção não confirma a regra como sucesso, na politica a exceção confirma a regra da farsa representativo como fracasso eleitoral. Erundina, Bernie Sanders, Ron Paul, todos os bons velhinhos sérios e lúcidos se não se rendem caem ao que há de mais velho e podre embalado como novidade.

Mas então o povo é idiota? Não são os humanistas tem caem nos preconceitos e tem medo de libertar os povos. Que acham que ele cederá aos piores impulsos e decairá sem eles em barbárie ou cairá nas mãos de lideres de extrema direita. Bem então deixa eu te contar uma coisa: os povos do mundo já está caindo nas mãos deles e justamente porque falta a eles qualquer outra alternativa libertária.

Se os povos estão de novo caindo no maior mito distopico, o maior estelionato da história da humanidade, a saber: a submissão ao poder supremo como libertação. é porque o barco do sistema antigo já afundou e tudo o que os os seus capitães dizem para os passageiros, é que eles não podem abandonar esse navio? Quem então é o idiota?

Ou construímos uma alternativa libertária concreta para os povos do mundo em tempo recorde ou já era. Porque a historia conta esse barco dos extremista nunca não afunda, ele explode com o mundo inteiro dentro.

Não importa que você ainda seja um falso humanista que não acredita que os povos do mundo possam viver sem vigilância e vigilantes. Que não queira quebrar a divisão das pessoas em duas classes de fato: as que são capazes de decidir de armas na mão e as que tem obrigação de obedecer e trabalhar. O que acreditamos ou desacreditamos é cada vez mais tão igualmente relevante quanto os que os demais pensam onde há cada vez menos centralidade nos fluxo de informação e formação de opiniões.

Hoje muita gente pode não saber ler e escreve direito ainda mas sabe muito bem o nome de certos ministros do Supremo. Suas torres de marfim, não são mais panópticos tão seguros e intocáveis que eram antes. Podem ainda ser zonas acima da sua própria justiça, mas não são mais tão intangíveis divinas como todos poderosos de outrora.

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,analfabetos-nao-podem-fazer-leis-diz-gilmar-mendes-sobre-lei-da-ficha-limpa,10000079295

É obvio que quem deve pilotar são os pilotos. Quem deve adminstrar os dinheiro são os gerentes. E quem deve construir as casas são os arquitetos. Mas não são eles que devem dizer para onde vamos, o que podemos fazer com o nosso dinheiro, ou como e com quem devemos viver. O mesmo vale para quem faz e interpreta as leis. Conhecimento não é poder. Conhecimento é libertação. Somos nós que temos que dizer para onde queremos ir, o que deve ser feito com nosso dinheiro e como queremos viver. A obrigação de vocês não é comandar até porque podemos viver num estado de direito e democracia se quisermos sem aviões, bancos governos e tribunais, mas não podemos viver sem liberdade. Até porque com ela sempre nas mãos podemos a hora que acharmos que precisamos construir nossos próprios aviões, bancos, tribunais e governos,

Quem acredita que neste velho mito supremacista ainda vai matar muita gente inocente para mantê-lo, não duvido disto, mas só para morrer abraçado com ele. E como não quero ver sangue de ninguém. Grito mesmo que para paredes. Esse modelo de representação política (e econômica) quebrou no Brasil e no Mundo. Não adianta continuar tentando impô-la a força.

http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/mundo/2016/09/29/interna_mundo,667378/espanha-passa-pela-pior-crise-politica-de-sua-historia.shtml

Não interessa mais se o sinhozinho ou o reizinho é bom ou ruim ninguém que se descobre como gente, quer mais ser vassalo nem escravo. A era dos supremacistas, ao menso como os conhecemos hoje, acabou. Não que eles não venham a dominar ainda o amanhã. Os predadores mais inteligentes geralmente conseguem se adaptar as novas condições. A questão é se eles serão inteligentes o suficientes para entender isso e efetuar uma transição pacifica para o novo sistema produtivo ou vão levar o mundo ao terror e morrer junto com seu velho mundo.

A historia mostra que os duas alternativas são perfeitamente possíveis: quando os novos tempos chegam com sua luz os poderosos podem desaparecer como as dinastias francesas ou sobreviver como as britânicas.

A evolução a revolução as vezes é tão lenta que mal conseguimos perceber que ela está acontecendo, mas quando os saltos evolutivos e revolutivos são dados não nos resta muito a fazer, bons ou ruins, pobres ou ricos, poderosos ou escravos, ou nos adaptamos aos novos tempos ou perecemos.

O tempo urge contra eles. Mas também contra nós. Afinal no topo ou na base da cadeia alimentar vivemos na mesma era de dinossauros. E as chances para evitar uma “catástrofe” estão se esgotando.

Thiago Rodrigues Design
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.