Intervenção popular constitucional Já! Democracia Direta Já!

Porque não são só as entranhas da máquina estatal que estão expostas: são as suas.

Não senhores vocês não são cães. Da fidelidade vocês conhecem a palavra e mas desconhecem o significado sensível. Tudo em vocês quando não é vazio, ou demagógico é propaganda enganosa, o oposto da realidade, a corrupção em todos os sentidos. A fidelidade em vocês é a mera servilidade covarde e abjeta ao culto idolatra da alienação, e a fidedignidade… a fidedignidade? o que é isso?

Esta mensagem é um documento histórico, a confissão de um político incauto ao cidadão, de um criminoso de guerra dessa política contra a sociedade civil, a delação do oficial de baixa patente ao cidadão prisioneiro desde sistema de negação dos direitos políticos mais inalienáveis. Ele tenta passar-se de coitado, mas não é parte dos que conduzem o pais como se fosse uma mera experiencia contra prisioneiros. Onde as vidas que se perdem a cada erro, a cada nova lei ou decreto irresponsável não são crimes, mas um mal necessário ao progresso de sua “ciência” politica e econômica.

Ele expõe as entranhas do sistema, mas as entranhas do sistema são feitas de gente, que sofre e morre em consequências de todos os planejados e cirurgicamente executados por seus colegas de profissão.

Eles não apenas comentem crimes de forma descarada ou organizada, eles o fazem de forma voluntária e consciente das suas consequências desumanas sobre a sociedade reduzida a mera objeto de suas experiencias políticas e econômicas. Eles não são irresponsáveis.

Eles sabem perfeitamente os riscos de suas ações e omissões sobre cada cidadão detido sob o poder dos seus mandatos. Eles não são representantes de nenhum culto religiosos disfarçado de política, nem de política disfarçada de religião, eles são vivissecadores de toda a vida natural disfarçada de racionalismo ilustrado.

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/225597/Renan-ter%C3%A1-papel-central-no-Pa%C3%ADs-ap%C3%B3s-o-domingo.htm

A desordem é aparente. Numa uma sociedade que não abaixa a cabeça nem levanta a bunda, não só não-violenta mas desperta e contra-violenta, o parlamentarismo desses coronéis como Renan, é idêntico ao presidencialismo mafioso da entidade populista Lula-Dilma e seu aprendiz de sith traiçoeiro Temer, ou qualquer outro regime autoritário neopopulista ou fundamentalista a lá Bonsonaro.

Mostremos que não somos iguais a eles e elas mostrarão a sua verdadeiro “caráter”:

Mas admitamos, dentro da legalidade pervertida deles, o governo é democrático, e nenhum golpe é golpe porque toda experiencia desumana pode ser legal e governar...

Eis o retrato das entranhas do “presidencialismo de coalização” do “parlamentarismo à brasileira” e toda farsa da representação politica que se suponha democrática.O crime que maníacos escondidos por trás dos cargos e títulos legalizados perpetuam contra direitos naturais:

E quão diferente do nossa legalidade e democracia populista desenvolvimentista e neoliberal disfarçada de esquerda, ele é? Quão diferente do atual presidencialismo de coalização, não?

E se você está chocado com esses fatos e imagens, então nem olhe para as imagens dos seres humanos igualmente violados pelo exercício dos direitos adquiridos de mando destas nossas excelências contra os direitos naturais e humanos. Enterre fundo a cabeça no próprio rabo. É o único lugar que você não vai ver as tripas jogadas no chão. Até quando vamos fingir que como bons legalistas que não existe escravidão, crimes contra a vida, e que não sabemos do que são feitas as salcinhas, a politicas ou a fumaça das fabricas e dos campos de concentração?

Até quando vamos fingir como senhores de escravos e burgueses do seculo XIX de esquerda e direita que o trabalho forçado dos negros é humano se dentro da legalidade , a servidão colonial legítima aos reis e despostas legitima se constitucionalizada? Quem é o ser humano do século XIX? Do que é feita minha geração? É o mesmo idiota que vai confundir o legal como a própria legalidade, assim como já nascemos confusos em cativeiro com a tomada do real e realeza como própria realidade?

Como diz o ditado popular: Cuba de cú é rola, vão morar e fazer suas brigas de condomínio na Dysnelândia… de Paris.

Eu quero é intervenção popular constitucional e pacífica: Democracia Direta Já! A representação politica não é apenas necrófila não se alimenta apenas do sacrifício do trabalho forçado e da guerra. Ela é rito canibal. Seus fiéis praticantes creêm que absorvem a alma das vítimas que estupra, devoram enquanto vivissecam. Como dizia o desencarnado espirito obsessor e cultista profissional do poder Antônio Carlos Magalhães: o poder não é um fardo é um prazer.

Como todos criminosos não encontram prazer apenas em descrever seus crimes, eles como todos sociopatas só encontram prazer quando podem olhar para olhos das vítimas e desfrutar da sua agonia. E quanto mais sacra e pervertida for a sua perversão maior é mais evidente é o desvio mórbido-erótico do seu prazer.

Não se enganem, a volta e ascensão da hipocrisia fundamentalista destes falsos moralistas, destes piores monstros, é o prenúncio da volta das esquadrões de extermínio, caça as bruxas, Fleurys, Carandirus, e inquisidores. E não é produto da capacidade deles mesmos. Nem é só produto da traição e simbiose teratológica desta esquerda autoritária no poder e seus acólitos. É produto da submissão ideológica que trai nossa própria humanidade e nos leva a lamber a mão dos nossos mestres até mesmo enquanto eles nos dissecam vivos.

E onde mais seria? Na lucidez libertária? O poder abomina a luz e a lucidez. Só a vida e liberdade, cresce por autogeração. O poder é não é apenas estéril e contraceptivo, é absolutamente covarde.

E enquanto os humanistas e democratas perdem ainda tempo defendendo os seus comparsas favoritos a esquerda e direita. Eles crescem como um câncer. Agora como extremismo fundamentalistas de direita. De perseguidos do politicamente correto de vitimas da policia politico-ideológico de esquerda agora eles passarão a perseguidores, gente da mesma laia autoritária que agora se apropria do própria aparelho não só estatal mas paraestatal que essa esquerda autoritária e vendida usou e abusou enquanto delirava com a sua versão de totalitarismo caudilho e que agora se voltará contra todos nós, não só a esquerda libertária, mas a direita liberal e libertária que não fizer o mesmo que fez a esquerda frente aos seus falsos ídolos criminosos: fecha os olhos, calar se e servir.

Acorde o cão com as entranhas expostas e que lambe a mão dos seus donos não é o baixo clero da política é você.

E tem, gente ainda que vai comemora a queda dos seus donos, enquanto outros vão comemorar a subida dos que ocuparão seu lugar. Enquanto isso as nossos entranhas continuam abertas a serem remoídas por esses monstros.

Não! A sociedade e humanidade não é de direita nem de esquerda, ela é livre e natural. E tem o direito a tantas matizes políticas quanto diversividade de formas de vida quanto a legitima defesa quanto qualquer maluco e seus lideres sejam eles de esquerda direita ou acham que são os únicos eleitos por deus ou pelo povo.

Tire esses urubus que pousaram na sua sorte, livre-se desse mal institucionalizado:

Eleições e Democracia Direta Já. Ou será mesmo que você não vê? Não espere um “milagre econômico” olha e vê, porque faz tempo que:

“O beijo, amigo, é a véspera do escarro, [e] a mão que afaga é a mesma que apedreja.” [Pois, então] “Se a alguém causa inda pena a tua chaga, Apedreja essa mão vil que te afaga,[e] Escarra nessa boca que te beija!”

O que está esperando? Livra-te deles e retoma o que é teu bem mais precioso: o fenômeno da vida aqui, agora e além.

Chega de materialistas de esquerda e direita. Precisamos de ideias e idealista. De amantes confessos da liberdade não como discurso, ideologia, e demagogia, mas como realidade fundamental e prática não para alguns mas para todos. Chega de Paraísos e terras prometidas.

Repúblicas Libertárias e Democracias Direta Já.

“Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão — esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!
Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.
Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.
Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!”
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.