Cadê meu retorno em Social Media?

Tenho escutado isso há uns anos, desde que se popularizou criar perfis e páginas em redes sociais para a venda, para a manutenção de marca, ou mesmo personas. O cliente sempre quer saber desse retorno, e obviamente ele está certo.

Teoricamente ele como cliente mediano, não tem lá tanta grana assim e faz um investimento de R$5 mil em redes sociais, que acontece onde desse dinheiro digamos que R$ 1500 vão ficar no Facebook Go! então a agência de Social Media vai pegar R$ 3500 para montar seus cards, pelo menos 2 por dia no facebook e 2 também no instagram, que não podem ser repetidos, podem até ser parecidos, mas repetidos nunca. Então ele tá ali pagando quase R$120 por dia somados aos seus R$50 de impulsão diária, por uma propaganda eficiente e objetiva. Já que o grande investidor sabe bem mais sobre o que fazer nessa situação.

Eu já estive no lado da agência e cobrei exatamente esse valor de um cliente, realmente acreditava que estava fazendo um bom trabalho, só que se você bota todos esses R$170 diários hoje no Facebook, ele não vai chegar nem a 10% do alcance que você tinha há 2 anos atrás. E sabe por quê?

O Facebook é a estrela e não você.

Com o boom dos investimentos em Social Media, aumentou o número de procuras, leiloando o número de ofertas. Você está pagando mais por menos. Então todos aqueles cases maravilhosos que sairam na Meio & Mensagem que a agência lhe levou para investir nesse modelo de publicações diárias, não repetidas, não vale mais. Pode enrolar tudo e jogar no lixo, ou deletar dos favoritos o que lhe for mais comum.

Existe hoje dentro dessa rede uma massividade de peças que custaram R$30 para serem produzidas e o público não quer vê-las, sinto muito. É onde entra a estrela do Facebook, ele prefere deixar a publicidade mais cara e mais difícil para o pequeno investidor, do que um usuário sequer pensar em sair do Facebook por causa dos anúncios. Enquanto que grandes investidores tem acesso a modelos especiais, ou você acha que o Netshoes mostra a camiseta do seu time em promoção, na hora que acabou de sair o gol na TV por acaso? Claro que não.

O Facebook, Instagram, Google e vários afins, não funcionam como os meios tradicionais que a sua agência de publicidade está acostumada. Não adianta simplesmente pagar mais, para veicular mais. Eles não querem que os usuários sejam impactados por campanhas massantes de "clique aqui" ou conheça nossa página, não que elas não possam ser veiculadas. Mas digamos que esteja numa cidade com 100mil usuários cadastrados em uma dessas redes, com um custo de R$0,30 por envolvimento com uma publicação e você coloca 30 mil de envolvimento, ele não vai consumir esses investimento em um dia só. Se alguém conseguiu essa façanha, que me corrija. Mas se você tivesse feito isso na TV, no Jornal ou na Rádio, nas devidas proporções de valores isso aconteceria. Exceto a Globo.

A Globo quer ser mais estrela que o Facebook.

A Globo tem funcionado digitalmente do mesmo jeito que funciona offline. Pagando BV para as agências, para que elas continuem vendendo o que sempre venderam, do mesmo que sempre fizeram, pagando sempre o mesmo percentual. Mas não quero falar sobre isso.

Na verdade, o usuário é a estrela.

Sim, o usuário. 5 anos atrás você só tinha early adopters no Facebook, mas o brasileiro em si estava no Orkut, há 10 anos era o Fotolog. Quem dita as regras do jogo de social media é o usuário. Cada negócio pode prosperar utilizando oportunidades em outras redes que não sejam só o Facebook. E é por isso que o Facebook valoriza mais esses usuários que os seus anúncios, e enquanto ele fizer isso, ele vai estar no topo afinal "O Facebook é gratuito e sempre será". E você como anunciante vai continuar pagando, cada vez mais caro para estar lá.

E o que dá pra fazer então?

Respirar, você não precisa publicar todos os dias, se realmente não tem algo a dizer. Gere conteúdos realmente relevantes, dê tempo aos criativos de realmente fazerem algo legal, ter um texto bom e imagens bem trabalhadas que não venham de Banco de Fotos, você pode até continuar pagando seus R$5mil para sua agência de social media, mas deixe espaço para que as ideias sejam realmente boas, na maioria das vezes menos é mais. Então deixe o usuário respirar e não bombardeie ele todo dia 11h da manhã com uma foto de hamburger que você só vai começar a vender as 17h. Fora que existem as alternativas.

Conheço gente que escolheu fotógrafo do casamento pelo Pinterest, assim como falei que ia jantar em um determinado lugar e me avisaram que suas estrelas não estavam tão altas no Tripadvisor, ou descobrir no Untapped que uma cervejaria lançou um sabor novo. Seja qual o ramo do seu negócio, tem algum aplicativo que pode lhe ajudar a estar mais próximo dos seus clientes. Pois isso também é Social Media, que a maioria das agências simplesmente tem preguiça de procurar e lhe oferecer.

Por menor que seja sua verba, sempre dá para usar a comunicação a seu favor, desde que se tenha alguém disposto a abrir o caminho junto com você. Não uma empresa que vai te dizer "cria um perfil do Snap, tá todo mundo lá". Que dessas, o mercado está cheio, gerando resultados de bosta que te fazem perguntar onde está o seu retorno em Social Media.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.