Ano novo, vida nova

— E esta cara triste? Tá tudo bem? 
Pergunto, sentando na beirada da cama.
 — Sim, só estou cansada. 
Me responde a gostosa deitada de bruços. Lhe ofereço uma massagem, que ela prontamente aceita.
Acaricio lentamente seu pescoço e costas, descendo até sua bunda já de fora. Esfregando suas pernas, roço levemente em sua calcinha. Ela geme baixinho. 
Com os dedos, invado-a colocando para o lado o pedaço minúsculo de pano. Dou uma lambida em sua buceta e subo pro rabo, provocando calafrios. O sangue desce e fico tenso.
Boto o pau pra fora e tento penetrá-la. Embora úmida, a posição dificultava os movimentos. 
Ficamos alguns minutos neste rale-rola até que eu me levanto. Pelado, coloco o pinto em seu rosto. Ela prontamente inicia uma chupada, engolindo o cacete com maestria. 
Fecho os olhos e aproveito a situação.
A vontade vem, e pego-a de surpresa (embora eu tenha avisado). Ela se engasga. Tremo na base, enquanto a vida é sugada de mim.
Coloco o shorts. 
Sem dizer uma palavra, ela sorri e sai do quarto.