Nem todos vão gostar

Nem sempre eu gosto. Nem sempre eu me gosto.

Aceitar não é concordar com tudo, mas é entender que as coisas são daquele formato e jeito. É compreender que as vezes não precisamos mudar, mas podemos se quisermos.

Quando amamos/gostamos de alguém, a balança que mede os defeitos e qualidades favorece essa pessoa. Por que sempre que olhamos para nós mesmos essa balança não joga no nosso time?

Eu aprendi a aceitar os meus defeitos quando comecei a me amar. Quando comecei a marcar encontros comigo mesma e dar match com todas as minha versões. Os defeitos foram ficando menores, e claro, luto pra tentar conserta-los todos os dias, sem brigar e repreender.

Minha maior meta do ano é gostar de mim, gostar do que eu faço, leio, assisto e ouço. Não preciso vestir a roupa da moda ou maratonar o ultimo lançamento da Netflix, o que eu quiser fazer, eu vou fazer por e para mim.

O meu gosto é único. O conjunto de todos os meus mini defeitos formam a pessoa que sou e me tornei. Alguém vai gostar desse resultado final.

Mas se ninguém gostar, na balança vai pesar o amor próprio.