Entenda a importância do marketing pessoal para médicos

Desde jovens quando começamos a nos inserir na vida social, é muito comum ouvirmos as pessoas dizerem que “a primeira impressão é a que fica” e que é importante cuidar bem da nossa imagem pessoal. De fato, a apresentação pessoal é um ponto chave para o início de qualquer relacionamento, pois é a partir desse primeiro contato que começamos a mostrar algumas características da nossa personalidade e procuramos algo em comum com as outras pessoas a fim de causar empatia. As primeiras atitudes que aprendemos a tomar para causar uma boa primeira impressão foram cuidar da nossa aparência, estarmos sempre bem vestidos, saber regras básicas de educação social e exercitar a simpatia.

Ao entrar no mercado de trabalho, todo profissional deve saber que causar uma boa primeira impressão não é mais suficiente para ter um relacionamento duradouro e de sucesso com seus clientes. Com concorrência por todos os lados, é preciso saber cuidar da imagem pessoal, se posicionar, se diferenciar e se manter em destaque para conquistar boas oportunidades. Essa visão é necessária para quem trabalha em uma empresa, e imprescindível para quem é a própria empresa, como no caso dos profissionais liberais. Quem depende do boca a boca para conseguir novos clientes deve estar ainda mais atento: é importante investir pesado no marketing pessoal para se vender como um melhor profissional.

Um dos profissionais liberais que mais precisa cuidar do seu marketing pessoal é, com certeza, o médico. Desde os tempos das nossas avós, ninguém vai ao médico sem pedir uma indicação ou referência a algum conhecido ou parente que já precisou de um tratamento parecido. Isso porque o médico é o profissional que procuramos quando é preciso cuidar da saúde física e mental. Portanto, trata-se de uma relação de extrema proximidade que exige um alto nível de confiança no trabalho que será desenvolvido.

Quando se fala de marketing pessoal para profissionais da área da saúde, principalmente médicos, há sempre um estranhamento. Falar de marketing para médicos pode até parecer algo antiético, mas na realidade é bem mais simples e inofensivo do que parece: trata-se apenas de realizar esforços para demonstrar o comprometimento com o trabalho e os bons resultados alcançados no tratamento de pacientes, se tornando referência na área de atuação. Com uma lógica básica, é fácil entender por onde começar a trabalhar o seu marketing pessoal como médico e trazer novos pacientes para o consultório. Vamos à prática!

Ser encontrado

Um problema bem comum que os médicos em início de carreira enfrentam é o fato de serem novos no mercado e, por isso, não serem encontrados. Como a maioria dos pacientes vem mesmo por indicação, os primeiros são os mais difíceis de conquistar. Mesmo para médicos mais experientes, estar no meio de uma grande lista de outros profissionais com a mesma especialidade em catálogos de plano de saúde ou listas telefônicas não é uma estratégia muito inteligente para ter um consultório sempre cheio de pacientes.

Como usar o marketing pessoal para ser encontrado sem fazer propaganda? Uma boa prática pode ser manter um blog, por exemplo. É fato que as pessoas procuram informações sobre saúde pela internet de forma muito mais recorrente do que procuram por um médico. Por isso, fornecer informações seguras sobre métodos de prevenção de doenças, novas descobertas em tratamentos e hábitos saudáveis pode ser uma excelente maneira de ser encontrado na rede virtual e se tornar referência em boas informações.

Ser referência

O marketing pessoal também é muito importante para qualquer profissional que deseja ter destaque em meio a tantos outros que trabalham no mesmo ramo e até na mesma função. No caso dos médicos, não é diferente. Em uma mesma cidade ou região, podem existir vários cardiologistas, pediatras, ortopedistas. Então, como obter um destaque se há vários profissionais capacitados para realizar o mesmo trabalho? Investir em uma especialização mais avançada, uma técnica inovadora ou uma postura diferente no atendimento aos pacientes pode ser uma boa saída.

Ser referência em um assunto significa estar sempre à frente, trazendo novidades, estudos, informações atualizadas e, consequentemente, melhores resultados. Na área médica ser referência é mais do que um diferencial, pois quando se fala em tratamentos de saúde, principalmente os mais complexos, é preciso que o paciente acredite e confie nas capacidades do médico para ajudá-lo. Usando o marketing pessoal para transmitir seriedade e conhecimento sobre determinado tipo de doença e tratamento, o médico pode se tornar referência naquela especialidade e conquistar a confiança dos seus pacientes e da comunidade médica.

Não se pode esquecer também que toda a estrutura que há ao redor de um atendimento médico precisa estar de acordo com a imagem que se quer passar. A própria comunicação da clínica e o treinamento da equipe de funcionários precisa ser focado em demonstrar excelência no atendimento, seriedade e comprometimento com o trabalho, transmitindo aos pacientes uma sensação de conforto e segurança naquele ambiente.

Relacionar-se

Como todo profissional que trabalha diretamente com pessoas, o médico precisa saber como se relacionar bem com seus pacientes, com os colegas de profissão e com profissionais de áreas complementares, como técnicos de laboratório e farmacêuticos, por exemplo. Relacionamento é um ponto muito importante do marketing pessoal, já que é também através dele que construímos uma boa reputação e somos citados positivamente pelas pessoas que têm contato conosco.

Nesse ponto também é muito importante estar atento ao comportamento de todos que trabalham em conjunto com o médico. O relacionamento das secretárias, assistentes e outros colaboradores da clínica entre si e com os pacientes também precisa ser sempre trabalhado para que mantenha o mesmo nível de qualidade daquele construído pelo próprio médico.

Fidelizar

O marketing pessoal também está muito associado à fidelização de clientes. Como no caso dos médicos um cliente é um paciente, o marketing pessoal pode contribuir muito para que essa relação seja longa e duradoura. O termo fidelizar aqui não se trata de prender o paciente no consultório, mas de construir com ele uma relação de proximidade, confiança e responsabilidade. Dessa forma, os pacientes não irão hesitar no momento de fazer uma consulta de rotina, pedir indicações de profissionais atuantes em outras especialidades médicas e também indicar o trabalho para outras pessoas.

Um bom exercício a se fazer para ganhar a confiança de um paciente é mostrar casos de sucesso, explicar com propriedade como é desenvolvido o tratamento, ter consciência das ansiedades e temores de cada paciente e ajudá-lo a manter a tranquilidade durante os atendimentos. Demonstrando conhecimento e experiência sem deixar de lado a sensibilidade, o médico já está colocando em prática uma excelente estratégia de marketing pessoal.

Depois de entender a importância de destacar o trabalho realizado e identificar os pontos que podem ser melhorados para que o seu marketing pessoal seja mais efetivo, um exercício interessante a se fazer é procurar se informar sobre quem são os profissionais de referência em determinada especialidade na sua região. Da mesma forma como associamos algumas marcas de produtos a qualidade excepcional ou tecnologia avançada, por exemplo, o objetivo é que como médico o seu trabalho seja encontrado, reconhecido e procurado pelos pacientes.

Caso você ainda tenha alguma dúvida sobre o tema o queira fazer algum questionamento, deixe o seu comentário e participe da conversa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.