Design e inovação no Brasil

Sua empresa investe (ou pensa investir) em inovação? E em Design?

Recentemente foi incluído na sondagem trimestral de inovação da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) a atividade de Design, investigando como é a difusão do conhecimento e uso do Design como ferramenta de inovação. Verificou-se que em geral, as empresas percebem o potencial do Design para inovação, mas ainda há um baixo percentual de novos produtos cuja inovação se deve ao Design, sugerindo que a contribuição do Design para a inovação, na prática, ainda tem muito a ser explorado.

Porque investir em Design? Pela pesquisa, as maiores motivações para investir em Design foram: busca por maior participação no mercado (55,3%), melhoria nos processos produtivos e redução de custo (53,8%), exigência dos clientes (53,5%) e entrada de novos concorrentes ou novos produtos (43,5%). Ou seja, o Design ajuda essas empresas inovar, se diferenciar e aumentar sua participação do mercado, os clientes pedem por isso, e se você não se pensar em usar Design, seu concorrente o fará.

E como as empresas tem encarado a relação do Design com a inovação?
Mais da metade das empresas afirmaram que Design tem alta importância, sendo que apenas 1,5% das empresas acreditam que o Design não tem importância para inovação, indicando que na percepção das empresas o Design é altamente relacionado com inovação. Porém, apenas 16,5% em média dos novos produtos lançados pelas empresas recentemente devem sua inovação prioritariamente ao Design. Complementando essa informação temos que maioria (71%) das empresas utilizam Design em diversos níveis, mas apenas uma pequena fatia (11,5%) considera o Design como diferencial estratégico. Isso mesmo, percebe-se o valor como inovação, utiliza-se em diversos níveis, mas ainda não é considerado como diferencial estratégico. Para melhor entendimento de como se dá a utilização do Design na indústria, em 29 % das empresas, não é observada utilização do Design, para 24,3% o Design é considerado em todas as etapas de desenvolvimento de produtos, para 21,1% é usado principalmente como auxiliar de marketing, agregando valor visual ao produto, embalagem ou identidade visual, para 14,1% é utilizado de maneira esporádica em produtos novos e em 11,5% é diferencial estratégico da empresa.

Não é pouco comum a não compreensão da atividade na indústria, pelo seu forte apelo visual, sendo uma das suas faces mais conhecidas, o design é frequentemente confundido como apenas uma ferramenta para agregar valor visual, e não estratégico a uma empresa ou produto, sendo que o trabalho do designer na realidade se inicia no estudo das necessidades e comportamento do seu cliente, planejando o melhor uso do seu produto ou serviço, através de toda jornada de uso do mesmo, desde qual é o contexto de uso, cenário, atores envolvidos, alinhamento com o posicionamento da empresa indo até qual é a informação mais importante a ser vista, fluxo de uso do serviço, ou sensação que seu cliente pode sentir através do produto entre muitos outros elementos, tudo isso pode ser planejado através do Design. Através dessa sondagem que se repete trimestralmente, poderemos acompanhar como será a evolução da difusão do conhecimento do Design e aplicação do mesmo na indústria.

E na sua empresa, como se encara o Design?