Análise semiótica do clipe Journey — Separate ways

Outro dia eu tinha terminado o namoro e tava ouvindo uma playlist qualquer de “musicas sobre término”, aí começou a tocar separate ways e eu pensei “caralho, tinha alguma coisa nessa musica que eu amava”. Era o clipe.

Esse talvez tenha sido o clipe mais profundo e subestimado da história da musica, os caras no começo dos anos 80 conseguiram resumir a década inteira num clipe, esses filhos da puta parece que viajaram no tempo só pra viver os anos 80 e já saber como resumir antes mesmos de começar.

Mas vamos lá, o clipe começa mostrando um galpão com um angulo completamente torto, então somos apresentados aos membros da banda, só que tem uma coisa muito diferente nessa banda…

Os caras simplesmente não tem instrumento nenhum, cada um tá ali empolgadão parecendo que tá esperando algo, sua ansiedade vai aumentando, você pensa “meu deus, eles não vão tocar?” aí vem a grande surpresa

TCHAN!

INSTRUMENTOS VARIADOS SÃO MATERIALIZADOS TAL COMO MAGICA na mão dos caras, mas eles parecem nem se importar, é natural pra eles, é algo que nós podemos sentir mas não compreender

Somos então, apresentados a outro personagem importante no plot

Tal qual uma obra do tarantino, temos vários ângulos enquadrando as pernas de uma mulher, que caminha firmemente, você nota que o fundo é o mesmo galpão de antes e já começa a se indagar se nossos amigos vão aparecer

E não é que os filhos da puta tavam atrás da mulher? Ela passa sem dar a minima mas não fica barato

Saca só a melancolia no olhar do xororó depois de ver a mulher

Aí os caras ficam birutas de vez, sabe aquele seu amigo do colégio que não conseguia ouvir The trooper sem fazer um air guitar? Então, os caras aqui iam mais longe e faziam uma BANDA INTEIRA TOCANDO AIR INSTRUMENTOS

Sim caralho, air guitar, air teclado, air bateria, air vocal, air pandeiro, air oboé, os caras empolgam tanto que nem reparam que não tem nada ali mais

Pelo menos a cadeira do baterista é real

Essa cena aí é onde a coisa fica surreal. É até difícil colocar em palavras, a gente tem um foco tão grande nos 2 caras, que, muito provavelmente, estão incomodados e desconfortáveis, aí pelo visto falaram “velho age naturalmente sei la se vira” e o maluco da esquerda simplesmente começa a imitar um felino arranhando enquanto faz uma cara séria, e o xororó que tentava cantar em paz não aguenta e solta uma boa de uma esboçada com a ação do colega

“sobe nesses pallet aí que vai ficar doido confia”

O mais incrível é que parece que a banda foi formada com alguém chegando num boteco de esquina de bairro falando “ow vocês do fundo, larga essa itaipava e bora tocar um som?” Aquele do bigode parece que ainda tá sobre o efeito do alcool, em alguns momentos do clipe dá até pra sentir o cheiro

então era aqui que tava o infeliz do teclado

Nessa hora a nossa barreira mental que separa a ficção da realidade já não existe mais, o cara que tocava um teclado invisivel pelo visto encontrou só que ele tava PRESO NA PAREDE, o que não impediu ele de continuar a performance

sente o animo do tiozinho

Eu tive que parar o clipe pra tomar uma água agora de tão confuso que fiquei, essa cena foi como se o clube da luta tivesse um filho com o inception

cuidado aí bicho cê vai cair
Top Gun: Ases Indomáveis (1986)

Agora pensa na seguinte situação: Tem uma mina gata na festa, um amigo seu tá lá paquerando ela, aí chega outro amigo seu e paquera ela também, você faz o que pra amenizar a situação?

Obviamente chega pulando no meio cantando até ela ficar tão puta que sai dali

“é pra olhar pra camera que ta acesa suas anta”
quando você fala que gostou de batman vs superman na mesa do bar

Nesse ponto do clipe a gente já começa a notar claramente o ponto onde o baterista perde o resto de sua sanidade mental e após não encontrar sua bateria (que aparentemente desaparece do nada as vezes) sai batucando nos barris da fábrica ao lado de uma réplica de um OVNI

JA CHEGOU O DISCO VOADOR

Aí dessa parte pra frente ninguém mais sabe o que tá fazendo, parece que falta 15 minutos pra acabar o expediente de sexta e tão ali tocando mecanicamente enquanto fazem uma projeção astral

“foto surpresa”
“cara ela ta vindo pra cá para de falar de anime”

O clipe então começa sua cena final com um grande grito de desespero do xororó após perceber que todos os seus membros perderam a vontade de viver, revelando em seguida o grande twist

“coça mais pra baixo, isso, aí, isso”

A ultima cena é algo que mesmo após quase 40 anos de clipe nenhum cientista conseguiu decifrar

Por essa você não esperava né? Sim, o clipe todo, assim como o gabinete do dr caligari e pokemon, se passou na cabeça da mulher, que aparentemente está numa cama de manicômio (mas também, pra dormir de headphone bem da cabeça ela não tá)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.