Sobre certo e errado

Por que nos atemos tanto a crer que ainda há certo e errado?

Isso não é algo que eu me pergunto ou quero que você pense que me pergunto ao me deparar com uma notícia de assassinato ou outros crimes, por exemplo. Jamais conseguirei crer que alguém acredite que fazer mal a outras pessoas é certo, porque já acho difícil acreditar que a motivação de alguém seja a certeza da impunidade. Mas devido a realidade que vivemos, somos capazes de tornar esse pensamento possível de existir.

O certo e errado que delimito meu pensamento aqui são sobre escolhas de vida.

Quem ditou que o certo é decidirmos nosso futuro aos 17 anos, ingressarmos numa faculdade aos 18 e nos formarmos com 23? Fomos incumbidos da tarefa de sair com uma quantidade considerável de pessoas até nossos 25, para então, depois de termos aproveitado bem a juventude, decidirmos que estamos, finalmente, maduros o suficiente para encontramos quem será nosso parceiro pro resto da vida. Que, consequentemente e obrigatoriamente, teremos que estar juntos por algum tempo para nos conhecermos melhor e nos casarmos, morarmos juntos, adotarmos um cachorro, tirarmos férias na praia uma vez por ano e termos um filho. Filho que passará pelo mesmo checklist que passamos na nossa vida. Quem disse que deveríamos aproveitar apenas 2 dos 7 dias da semana para nós, enquanto nos outros dias deveríamos colocar as ordens e sonhos de outras pessoas acima das nossas próprias vontades? E fazer isso para que ao final de uma vida de sacrifícios chegássemos ao patamar de poder descansar e ver outros passando pelo mesmo caminho?

Os exemplos que citei não são, de maneira alguma, algo que deva ser abominado. Admito que por muito tempo eu acreditei em muito do que usei como exemplo. Porém hoje coloco em xeque e, retomando ao questionamento anterior, é justo o que me refiro a estar certo: existe certo?

Existe algo linear que guie nossas escolhas como um manual de instruções, com páginas numeradas e avisos de ‘Perigo!’ nas partes cortantes? Existe algo que funcione tanto para mim, quanto para você? Existe certo e existe errado?

Somos levados a acreditar que as escolhas que fazemos na vida são delimitadas por um conjunto de regras. Regras essas que foram herdadas de quem nos criou. Pensamentos, ideias e anseios que podemos ver nitidamente nas pessoas que nos cercaram durante nossa infância. Além disso, descontentamentos com algumas atitudes de outras pessoas, também influenciam nas nossas escolhas e no nosso guia do que queremos para o futuro, não nos deixando fugir do que nossa realidade nos presenteou.

É errado um casal optar por querer morar junto antes de determinado tempo de relacionamento? É errado optar por uma vida modesta e sem luxos para fazer o que se ama? É errado arriscar tudo por um sonho? É errado querer aproveitar ao máximo a única vida que temos?

Creio que hoje errado é apenas acreditar que existe certo.

Nossos pensamentos são condicionados à realidade que vivemos e jamais poderemos compreender por inteiro o que outra pessoa pensa pelo mesmo motivo. Não cabe a nós julgarmos se o que os outros fazem é certo ou errado no que tange escolhas pessoais.

Nós estarmos aqui, desde o surgimento do universo até esse dia, é uma série de erros e acasos tão grande que acreditar que tudo isso é friamente calculado e escrito faz perder um pouco da beleza que existe em poder inventar e escrever uma história nova e inusitada todos os dias.

Para suas escolhas, não existem regras, não existe certo e não existe errado. Existe apenas o que te faz feliz.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Marcos Ghesla’s story.