Primum

Sim, eles estavam lá. Sempre estiveram.

Com seus olhares e toques, suas mesmas manias. Altivos, poderosos, cheios de sabedoria, para destruir e construir.

Perguntas-me de quem falo? Ora, dos deuses é claro.

Eles eram muitos, cada um com suas manias e singularidades, aos mais diversos propósitos eles poderiam servir.

Todos viviam em harmonia, não era necessário um líder para eles, pois eram o estado da perfeição divina. Ninguém sabe suas origens. Quem os criou? Porque os criaram? Perguntas sem respostas; porém eles eram poderosos, e ainda o são. Eles dividiam suas funções, para que a harmonia fosse sempre mantida.

Eles tinham aptidões específicas. Uns mais apegados a construção de objetos, outros dominavam todo tipo de sabedoria que existisse no universo, outros entendiam dos sentimentos, alguns desenhavam, outros dominavam truques. Mas sem exceção nenhuma, todos tinham o poder que hoje chamamos de magia, uns a dominavam com excelência outros nem tanto, mas nenhum deles desconhecia o ofício, por assim dizer.

Quando tinham questões muito complicadas reuniam um conselho com os deuses anciões, para que fosse deliberado entre eles o que poderia ser feito. E um conselho foi formado para discutir um dos assuntos que mais se ouvia no divino céu, esse assunto dominava a um deles em especial, Kadariel, um dos mais habilidosos entre todos os deuses. Ele começou sua fala:

- Apesar de toda glória e resplendor, todo poder e sabedoria atribuída a nós, percebi que podemos criar algo magnífico, inenarrável, simplesmente digno de nós os deuses.

Após algum tempo, foi decido, que os deuses deveriam criar algo único. Kadariel, foi o responsável por organizar a construção, e assim todos os deuses foram convidados a dar seu toque a tal obra. Criaram os continentes e ilhas, os mares, as terras geladas. Inseriam todo o tipo de criatura que possa imaginar. Em poucos dias estava pronto, a grande obra divina. Porém, Coratiel, observou que faltava algo em toda essa criação. Apesar de toda sua beleza, ainda parecia vazia, faltava algo. Pois a grande verdade, velada por todos os deuses é que eles se sentiam sozinhos.

Decidiram então criar um ser que pudesse ter semelhanças com os deuses e pudessem ensinar a essa sua criatura todos os dias, assim não seriam mais sozinhos, e poderiam em sua infinita existência ter um novo propósito.

Criaram a raça humana. Seres exuberantes que tinha uma semelhança incrível com seus criadores. Cada um dos deuses lhes deu uma característica diferente, segundo eles o que cada um poderia ter de melhor, receberam sua essência e assim o homem foi colocado na terra nomeada de Kadar para começar seu aprendizado.

Porém, em todo bem de alguma forma esconde-se algum mal. E os deuses não estavam sozinhos nesse universo. Também existiam os demônios. Seres que viviam de enganar seus semelhantes, ou em alguns casos até matavam. Não eram organizados, a cada Era eles travavam uma batalha muito longa entre eles pelo controle das legiões. Viviam no chamado pelos deuses, mundo inferior, um lugar escuro, mau cheiroso, como uma profunda caverna.

Também tinham poderes, menores que os dos deuses, porém capazes de fazer estragos enormes.

Com o passar das eras, os demônios, corromperam alguns humanos, e começam a se alimentar de sua essência divina. Foram eles que ensinaram ao homem a ganância, a destruição, o engano, e muitos outros males que começaram a dominar a criação divina.

Ao observar que os homens haviam perdido seu propósito, e haviam sido seduzidos pelas facilidades a que foram apresentados, os deuses se entristeceram e deliberadamente abandonaram os homens a sua própria sorte, intervindo poucas vezes em assuntos humanos. Kadariel e Coratiel, não deixaram de olhar por sua criação, sempre que podiam interferiam direta ou indiretamente nos assuntos humanos, mas, mesmo assim, apenas alguns poucos acreditavam e ainda clamavam por deuses.

O tempo passou, os humanos ficaram fortes, se adaptaram as terras, construíram grandes palácios, aprenderam a arar a terra, domesticar e criar animais. Fundaram cidades, ergueram murros.

Já não precisavam de deuses ou demônios, porém os próprios humanos tornaram-se a ameaça a sua existência. As primeiras eras forjaram o que a criação se tornou. Os homens dominaram.

Os deuses foram abandonados, mas alguns homens de bom coração, fundaram a Ordem de Coratiel, monges guerreiros, que hoje chamamos de clérigos, que não nos deixaram esquecer de onde viemos.

-Mestre Jakel, foi uma honra estudar a primum com vossa excelência.

-Ora, é um prazer compartilhar tais histórias com você , meu caro irmão Raul, estamos nessa ilha a algum tempo, e acredito que ficaremos aqui por mais alguns invernos, antes que possamos voltar ao continente.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.