2016, o (meu) ano do foda-se.
Francisco Escorsim
387

Diálogo travado no filme “The Gambler (2014)” entre Frank (John Goodman) e Jim Bennett (Mark Wahlberg), lá por volta de 1h 17min de filme:

(John Goodman) ~~ Bebe? Não me lembro se bebe. Claro, há beber e beber. Eu bebo, mas não fico bêbado… desde que Reagan era presidente.

(John Goodman) ~~ Fui multado e, na cadeia, caí e me mijei nas calças. Não é preciso fazer isso duas vezes. Te digo isto para que saiba
que todos já passaram por isso. Todos já passaram por isso uma vez.

(John Goodman) ~~ Se passar por isso duas vezes, após ter passado uma vez, não posso ajudá-lo.

(John Goodman) ~~ Sabe? Eu ouço os bêbedos e parece que ouvimos
um conto de fadas sobre uma luta com um monstro, quando o verdadeiro título da história é: “Não aguento a minha bebida” de Sr. Choramingas.

(John Goodman) ~~ Talvez eles tenham um problema, mas que se fodam se tiverem, porque eu não tenho. O que me leva a perguntar: Você age assim só agora ou sempre? Quer dizer, você tem um problema, buá, buá, buá”, como uma garota, ou um somálio que não consegue aceitar que não há comida onde eles vivem? Ou só agiu assim em termos temporários por ser temporariamente estúpido?

(John Goodman) ~~ Preciso saber se tem inteligência para desistir quando deve. Tem que não tenha, sabe? Jogadores de basquete que já não podem jogar. Idiotas que tentam manter um nível de vida que já não é possível… Há muita gente dessa por aí.

(John Goodman) ~~ Já o vi ganhando meio milhão de dólares.

(Mark Wahlberg) ~~ Já estive ganhando dois milhões e meio de dólares.

(John Goodman) ~~ Quanto tem com você?

(Mark Wahlberg) ~~ Nada

(John Goodman) ~~ Quanto pôs de lado?

(Mark Wahlberg) ~~ Nada

(John Goodman) ~~ Quando se ganha dois milhões e meio de dólares, qualquer idiota do mundo sabe o que fazer. Comprar uma casa com um telhado com garantia de 25 anos, um carrinho japonês econômico
e indestrutível, investe o resto a 3%-5% para pagar os impostos e essa é a base, percebe?

(John Goodman) ~~ É a Fortaleza da Solidão. Isso te colocará para o resto da sua vida ao nível de “Vai se foder”. Alguém quer que você faça algo?
“Vai se foder.” O chefe lhe irrita? “Vai se foder!”

(John Goodman) ~~ O seu avô corria riscos?

(Mark Wahlberg) ~~ Sim.

(John Goodman) ~~ Te garanto que ele o fazia de uma posição de “Vai se foder”.

(John Goodman) ~~ A vida de um sábio baseia-se em “Vai se foder”. Os Estados Unidos da América baseiam-se em “vai se foder”. É rei? Tem um exército? A melhor marinha na história do mundo?“Vai se foder, não me chateie!

O diálogo-quase-monólogo não acaba por aqui, continua. Terá que ver o filme.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Michael Farias’s story.