(fragmentos de uma nova vida sem você — fé)

mano,

hoje te mandei tanto amor que achei que meu coração fosse sair pela boca pra te alcançar, em algum momento. tivemos uma profunda experiência de fé, daquelas que tu teria zilhões de questionamentos e informações, onde te ouviríamos teorizar e pensaríamos: de onde ele tira tudo isso?

nossos dias tem sido assim. de novas crenças, novos caminhos, sorrisos desconcertados, lágrimas e saudade. ah, que saudade. sinto tanto a tua falta. na medida que o tempo passa, apagar o que tem de teu aqui vai ficando mais próximo e igualmente difícil. não a tua memória, isso jamais. mas aquelas coisas práticas mesmo, de quem vive do lado de cá. troquei as senhas dos teus e-mails, cancelei tua assinatura do spotify, troquei o cadastro e o cartão de crédito da tua assinatura do netflix.

teu quarto não tem mais tanto o teu cheiro, a mãe disse. mas cada vez que eu entro lá, eu me esforço pra sentir. é um misto de verdade com lembrança. tenho pensado em como vou te apresentar pras pessoas que cruzarão a minha vida ainda e que não te conheceram. tenho pensado em como vou contar pros meus filhos quem era o tio marcello, meu irmão. meu único irmão. tenho tanto medo de esquecer alguma parte importante que tu gostaria que eu contasse. penso que quando eu tiver 37 anos, tu terá 20. quando eu tiver 47, tu terá 20. e a nossa diferença de idade de seis anos e oito meses exatos, devido ao fato de termos nascido ambos no dia 24, que eu aprendi a contar assim que tu veio ao mundo, aumenta a cada dia.

então, em algum ou alguns momentos das 24 horas do dia que penso em ti, faço uma prece. te mando luz e amor e peço que as forças do universo me concedam sabedoria e serenidade. e elas pedem licença pras minhas lágrimas de saudade e me atendem, sabia? juro, juradinho.

eu sei, eu sei. sei que tu tá bem. sinto que tu tá bem. sinto tanto amor dentro de mim. senti tanto amor hoje, pensando em ti. e por todos esses motivos, queria dizer que guardei nas minhas memórias uma das vezes que tu disse que me ama aqui desse lado da vida. pq desde que tu fez a tua passagem, curiosamente, sinto que tu me diz isso todos os dias.

09 de abril de 2017.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.