Lembra quem tu és

Narciso, Anthony Gayton (2006)

É mais seguro olhar para trás e pensar que as mágoas são ilusões e não as desilusões que tomamos. Tudo se caracteriza pela forma como pensamos e os erros tornam-se o reflexo das nossas dúvidas. Todavia não há como escapar ao pensamento.
O amor não acaba. O amor transforma-se. Como o amor-próprio que engoles em função de quem amas, mas não deixes de te amar. Não deixes que os outros acham que tu não mereces aquilo por qual tanto lutas. Não deixes que eles acham que tu não lutas, só porque estás parado a pensar qual será o melhor passo a seguir.
Hoje tenho tanta certeza de tudo, amanhã talvez não. Mas não importa.
Não me vou deixar cair outra vez por meras relações de quem não sabe o que quer. Se tu sabes o que queres muda os pensamentos. Nem todos vão concordar contigo, mas todos saberão que naquilo que dizes, com tanta motivação, alguma razão terás.
Acima de tudo, apoia quem te ajuda a levantar. Nem todos temos amigos. Há quem só tenha amigos manchados de interesse. Mas tu sabes quem és, sabes o quão verdadeiro foste desde sempre com todas as pessoas que passaram na tua vida. Sabes o que tens para dar e quem souber, vai valorizar quem tu és. Deixa os outros viverem na sua ignorância.

Eu quero um amor repleto de amizade, como as amizades que tenho estão repletas de amor.