O que tens ou o que não tens não te define como pessoa!

Podes ter rios de dinheiro, propriedades, carros, coisas mas isso não te define enquanto ser humano. Um ser humano define-se como trata os outros.

É uma ideia romântica da humanidade…talvez, mas ainda quero acreditar que existem boas pessoas no mundo. Que todos temos coisas boas e más e que nos compete a nós escolher qual o lado que queremos evidenciar mais.

Eu não tenho nada e sou feliz por não ter nada, ou gosto de pensar que não tenho nada… e por isso é que sou um péssimo gestor, porque não sou ganancioso, não quero mais do que aquilo que tenho. Sou um palerma alegre, e desta frase só retiro o palerma porque há dias de tudo, mas o palerma fica sempre.

O que faz com que o tem muito dinheiro seja superior aos outros? Nada, mas talvez as pessoas que têm pouco acham-se inferiores aos senhores com dinheiro e/ou poder… são as pessoas que definem quem é superior, inferior ou medíocre. Mas o que faz com que alguém seja superior a alguém, o que tem, os seus pertences? Acho que são as pessoas que o fazem.

Acho que por vezes somos nós próprios que nos inferiorizamos em relação a alguém. E ninguém é superior a ninguém, e se alguém se acha superior a alguém, está completamente enganado. Vai morrer como outro qualquer. Pode ter um funeral mais vistoso, mas é para isso que andou toda a vida a achar-se superior?

Nós somos aquilo que fazemos pelos outros, aquilo em que ajudamos outros a fazer, somos na medida em que damos.

Continua a ser uma visão romântica do mundo, mas sinceramente, apesar de ser consciente que o mundo não é de todo romântico, tento tirar o melhor dele.

Não devíamos nós como ser humanos, olhar para o outro como alguém que é igualmente digno como nós? De onde vem esta ideia de que uns são mais que outros ou têm direito a mais coisas que outros. Da nossa cabeça. Da nossa pequenez como animais racionais.

Eu sei que a maldade existe nas pessoas, os sentimentos negativos existem, e se bem direccionados podem tornar-se em algo bom. Mas talvez sejamos demasiado egoístas para pensar no outro como alguém que podemos ajudar e fazer algo por ele. Somos superiores, estamos bem, porque vamos nós gastar a nossa vida a pensar e tentar fazer algo pelos outros se nós estamos bem e confortáveis? Pois, possivelmente nada…e vivemos muito bem com isso, porque nós estamos bem.

Como dizia o outro…sejam amigos pá!

Obrigado

Miguel Novais