Ontem a Noite a Estrela Caiu— Uma história em 6 atos

Ato II — O primeiro dia de trabalho de uma estrela cadente pode ser uma droga de dia.

Ok, vai dar tudo certo, não precisa ficar nervoso. Você se preparou 4 anos pra isso. Todo mundo sempre disse que você não ia conseguir nada na vida, que você era a piada da família, e olhe só pra você agora: Uma puta de uma estrela cadente formada pela melhor universidade do planeta. Ah, quem eu estou querendo enganar? Estou nervoso pra cacete. É o meu primeiro dia, você também ficaria.

Quando você é uma estrela, não existe ascensão maior do que se tornar uma estrela cadente. Por isso a faculdade é tão disputada, o vestibular é tão acirrado e a mensalidade é tão absurda. Mas tudo vale a pena pelo status-quo e pra poder esfregar na cara de todo mundo que te esnobou uma vida inteira, que sim! Você agora é alguma coisa na vida. Sem falar que o salário é ótimo e você consegue se aposentar cedo… Enfim. A melhor coisa pra se ser quando se é uma estrela, é uma estrela cadente.

Tecnicamente é o meu primeiro dia de trabalho. Ah sim, e qual é o trabalho? Achei que não precisaria explicar, o conceito todo mundo conhece: Realizar pedidos. Mas todos os pedidos? Não. Existe uma série de regras, é o negócio mais burocrático que existe. Tem que ser um pedido por vez, tem que ser um pedido feito com sinceridade e do fundo do coração, nenhum desejo feito pode ser desconsiderado e precisa ser realizado em até 48 horas, caso você deixe uma dessas coisas passar, você está fora. Cruel assim, sem choro. Sem segundas chances. Você perde sua licença. Você está ferrado.

Fiz 3 meses de estágio, mas foi em uma agência bem furreca, só realizei um pedido lá. Ajudei uma senhora a encontrar um pé de meia que tinha sumido. Estava atrás da máquina de lavar. Pois é, eu sei. Mudei o mundo esse dia. Mas minha hora vai chegar. Hoje é meu primeiro dia trabalhando com pedidos de verdade. Hoje eu provo meu valor para o universo, meus pais, meus professores e pra todas as estrelas que já me deram um fora! Vejam o que perderam senhoritas!

Minha supervisora essa noite é a Senhora Groucha. Ela é tipo o diabo, só que pior. E ela não usa prada. Estrelas não usam roupas… É estranho pensar nisso. Enfim, opa! Olha só, é o alarme. É a minha deixa. Preciso ir…

Mergulho no céu e meu coração dispara. Já fiz isso mil vezes no simulador, mas assim pra valer é completamente diferente. A qualquer momento vou receber meu primeiro pedido… A qualquer momento, a qualquer momento…

Sinto que tem um chegando…. Deixa eu me concentrar. Caraca, que nervoso… que noite quente…

“Eu desejo que morra esse canalha do Ivanstoff!” — A voz trêmula e cheia de ódio chegam aos ouvidos da estrela.

Perai… Eu desejo que o quê!? — Sim, ela ouviu direito. Mas essa é a clássica reação de alguém que sabe que está em uma senhora de uma grande encrenca.

  • Continua
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.