Estar só é tão solitário

Se há critérios pra tudo, eu me retiro de cena. Não quero perder. Não quero empate. Empatar é pior que perder! É saber que você quase chegou lá, só que não! De quase ninguém nunca fez nada, nem descobriu a lua. De quase ninguém nunca amou, de quase não existiu vida’lguma.
Queria sair por aí. Furiosa! Pensei numa corda, num fio, vi uma caixa, vi remédios, vi de tudo. E não fiz nada. Queria perder a memória e fugir. Não ter hora marcada pra ter medo todo dia. Quis gritar, não podia, aquela altura da noite, já não cabia altura pra minha voz. Minhas mãos doíam, não na verdade o que doía era o peito, doía e doía. E vi o mar, vi um monte de lados, e não vi sequer uma saída. Estar só é tão solitário!
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Funari’s story.