A LIBERALIDADE DE AUGUSTO E O PREÇO DA MOEDA EM ROMA
(Rodrigo Peñaloza, 18-II-2016)

A relação entre a oferta de moeda, por um lado, e os juros e o nível de preços, por outro, já era reconhecida pelos historiadores romanos. Apresento aqui duas evidências literárias - curiosidades históricas, na verdade -, referentes à liberalidade monetária do Imperador Augusto, que não gostava de ser chamado Imperador, apenas de Princeps (isto é, príncipe) ou Caesar.

Caius Suetonius Tranquillus, em sua obra Divus Augustus (“O Divino Augusto”), 41.1, conta como a liberalidade de Augusto em emprestar grátis (sem juros) o dinheiro que trazia para a Roma a qualquer um que oferecesse como garantia o dobro do valor emprestado, fez caírem os juros e subir o preço das terras:

Traduzindo: “Ele frequentemente, por ocasiões, exibia liberalidade para todas as ordens [de pessoas], pois, trazidos para a cidade, no triunfo alexandrino, os tesouros reais, gerou tanta quantidade de dinheiro que os juros caíram e muito subiu o preço da terra e, depois, todas as vezes que dinheiro das propriedades de condenados superafluísse, cedia-lhes o uso gratuito, por um certo prazo, àqueles que pudessem caucionar o dobro.

Observe que caucionar o dobro não é a mesma coisa que pagar juros de 100%. Você pode tomar $100 emprestados, caucionar $200, obter um retorno de $140,pagar o principal de $100, retirar a caução e embolsar $40 sem juros.

A segunda evidência literária é de Cassius Dio Cocceianus, que em Historiae Romanae 51.21.5, diz sobre César:

Traduzindo: “Tanta quantidade de dinheiro pelos cantos da cidade despejou igualmente que os preços dos bens subiram e os empréstimos que por um dracma teriam sido tomados com felicidade, agora o eram pela terça parte disso.”

A quantidade de dinheiro que afluía a Roma em decorrência das guerras era tanta que Augusto, detentor desse dinheiro por direito, deveria ter uma utilidade marginal do dinheiro praticamente nula e assim saía distribuindo empréstimos grátis. E eram tantos empréstimos que Roma se via de repente com aumento geral do nível de preços e a redução drástica dos juros de mercado para um terço de seu valor normal. O primeiro trecho menciona o aumento do preço da terra, sinal de que os beneficiados viam na aquisição de terra a melhor opção de uso do dinheiro.