MAL DE BEM-QUERER
(Rodrigo Peñaloza, 28/7/2015)

Por querer aquela estrela,
sem querer se me revela,
mas, na angústia de não tê-la,
mais quisera eu não querê-la
que não ter o que se anela,

condenado a assim revê-la
pelo vidro da janela
dos meus olhos d’alma, pela
noite aos poucos a perdê-la,
bem-querendo o brilho dela.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.