“RELIGIOSO”: SANTO AGOSTINHO VERSUS CÍCERO
(Rodrigo Peñaloza, 2013)

É comum encontrar a idéia de que o termo religiōsum, isto é, “religioso”, deriva do verbo religāre, que significa “religar”, dando-se a entender uma “religação” do Homem com a Divindade. Essa idéia é falsa. Na verdade, a associação de religiōsum a religāre foi feita por Lactâncio, em Divinarum Institutionum, IV, 28, e especialmente por Santo Agostinho em sua obra Retractationum, I, 13, no século IV de nossa Era. Santo Agostinho, já adepto do dogma da religião verdadeira, encontrou nessa associação uma excelente justificativa para a imposição do dogma da queda e do conseqüente retorno do Homem a Deus pela óbvia intermediação da Igreja.

Etimologicamente, porém, religiōsum significa “aquele que cumpre sua obrigação”. Que esse é o significado verdadeiro é comprovado por Cícero, no século I a.C. e, portanto, mais de 400 anos antes de Santo Agostinho, em sua obra De Natūra Deōrum, II, 72, na qual se afirma que religiōsum deriva do verbo relegĕre, que significa “reler”. Tanto Lactâncio quanto Santo Agostinho citam a passagem de Cícero, mas tentam desmerecê-la em favor de suas argumentações. Com a palavra, Cícero:

“Todos aqueles, porém, que, pertencendo ao culto divino, diligentemente o repetem, como se o relessem, são ditos religiosos porque relêem, assim como elegantes são elegantes porque elegem, diligentes porque demonstram diligência, inteligentes porque intelegem; por tudo isso, efetivamente, em todas essas palavras jaz o mesmo valor de ler que em religioso.” (Qui autem omnia quae ad cultum deorum pertinerent diligenter retractarent et tamquam relegerent, sunt dicti religiosi ex relegendo, tamquam elegantes ex eligendo, tamquam ex diligendo diligentes, ex intellegendo intellegentes; his enim in verbis omnibus inest vis legendi eadem quae in religioso). [De Natūra Deōrum, II, 72].

“Religioso” é, então, “aquele que cumpre os atos do culto divino” e que, por assim dizer, “relê atentamente o ritual”.