VIOLÃO X ENSINO — APRENDIZADO
 Olá,aqui é o professor de violão José Conceição.Hoje vamos conversar um pouco a respeito de como aprender violão e o porque que muitos alunos não dão seguimento aos seus estudos deste instrumento maravilhoso.Será que é difícil mesmo aprender tocar este instrumento? Ou os métodos usados já não atendem mais as expectativas do estudante? Estas são perguntas que tentaremos responder neste artigo.

PORQUE QUE EM MUITOS CASOS O ALUNO NÃO CONSEGUE APRENDER TOCAR VIOLÃO?

Gostaria de salientar que esta é a minha visão e não uma verdade absoluta sobre os métodos utilizados na didática deste instrumento.Há muitos anos atrás quando eu comecei a estudar seriamente o violão,porque antes eu já tocava o violão popular e fui para a universidade estudar o violão clássico.Chegando na universidade me deparei com métodos volumosos de exercícios,onde a maior parte do tempo era apenas para estudar a parte de técnica como, escalas,ligados,arpejos e tudo que envolvia a parte mecânica deste instrumento musical.

Comecei a perceber que aquela didática estava me incomodando muito,mais em respeito ao meu professor,simplesmente ficava calado e seguia o que era imposto para mim praticar.Meu professor com a melhor das intenções usava um método de ensino aprendizado tradicional e que ele tinha estudado neste mesmo método.Acontece que estudávamos muito a parte mecânica e poucas músicas para o repertório,quer dizer muita técnica e quase nada de repertório.

Acontece que mesmo quando estava fazendo o meu curso comecei a dar aulas particulares de violão e comecei a ensinar os meus alunos aquela didática e logo percebi que não daria certo,mesmo porque os meus alunos queriam era mesmo tocar músicas e montar os seus repertórios e não estavam afim de ficar praticando exercícios o tempo todo que era o que eu fazia na universidade. Pensei o seguinte,porque não estudar a parte técnica dentro da própria música? Neste momento comecei a trabalhar esta didática desenvolvendo a parte técnica dos meus alunos dentro da própria música e para a minha surpresa deu muito certo.

Depois de formado fui lecionar violão em uma faculdade de música e me deparei com a mesma metodologia tradicional onde os professores aplicavam a mesma coisa,exercícios,exercícios e exercícios.Bom,já podem imaginar o que aconteceu quando tentei implementar a minha maneira de ensino-aprendizado,apoio zero.Mas aos trancos e barrancos fui aos poucos implementando o que eu achava importante para os meus alunos e em pouco tempo o desenvolvimento foi uma coisa fantástica.Com estes resultados os próprios alunos exigiram uma mudança na didática,mas quero salientar que meus colegas professores,todos são grandes conhecedores da didática do violão e também grandes concertistas.Somente seguiam e seguem até hoje padrões impostos pela faculdade que é o ensino tradicional do passado.Alguns deles tem escolas particulares de músicas e outros ministram aulas particulares,e em suas escolas e aulas particulares,os mesmos aplicam uma didática totalmente moderna.Eles também são totalmente a favor de um ensino-aprendizado moderno e aplicam estes conceitos no aprendizado de seus alunos.Serei sempre grato a todos meus colegas professores.

COMO NÃO DESISTIR DO APRENDIZADO DO VIOLÃO?

Acho que as pessoas que procuram estudar o violão é porque querem aprender de verdade tocar este instrumento musical.O conselho que eu dou é que não fiquem presos as técnicas do passado onde existem muito exercício técnicos.Procurem sempre estudar a parte técnica dentro da própria música e desta maneira o aprendizado será muito mais rápido e a montagem do repertório também. Meu amigo, Marco Betaglia,violonista,professor e compositor faz um trabalho fantástico para a didática do violão. Conheça mais sobre este grande professor. Clique aqui

Este é o meu pensamento em relação a didática do violão.Fazer com que o aluno toque o mais rápido possível.Não fique preso ao passado,técnica aplicada diretamente na própria música.

Ao seu sucesso!

Professor de violão: José Conceição

Show your support

Clapping shows how much you appreciated José Conceição’s story.