Já havia decidido passar o aniversário de minha mãe (21/10) viajando - senão a cada ano, neste primeiro eu estaria de qualquer maneira na estrada - homenagem e a maneira que me faz mais sentido nesse grande "tocar a vida" que meus dias serão por algum tempo. E isso não é uma lamentação.
Ontem comprei passagem para o México, para celebrar o aniversário dela e participar dos festejos del Dia de Los Muertos. 
Hoje, procurando documentos que não devia ter perdido, achei um passaporte vencido de minha mãe. Curioso pelas viagens gravadas ali, encontrei esse registro de entrada e saída da Itália (acho) antes e depois de seu aniversário, em 2008. Aqueceu o coração saber que o tocar a vida é também um legado da passagem dela por aqui.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.