Não tá tranquilo, muito menos favorável.

Nem é preciso comentar que as visitas de um certo ex presidente a um certo sítio viraram alvo de investigação, mas quando se trata de um relacionamento extra-conjugal bancado por contratos fictícios é somente, e tão somente, um problema de ordem pessoal. Do qual ninguém tem nada o que especular, e de fato, ao menos no que se trata da grande mídia, nada é especulado.

O baixinho que, ao contrário do que dizem, não é aposentado por invalidez tem se tornado alvo de todo tipo de especulação por conta de iates e frigoríficos e fortunas multibilhardárias, conquistadas certamente roubando de criancinhas no banco imobiliário, e estampa as capas de diversos editoriais, que usando táticas dignas do Inspetor Bugiganga, não provam nada, mas tudo dizem sobre o homem sem dedo.

Ele é denunciado nos mesmos editoriais que se quer sabem que há uma figura de idoneidade mais do que questionável na presidência da câmara de um certo país, projetos absurdos correndo pelo plenário e uma máfia da merenda atuando sem dó em SP.

De tudo que ocorre no país, o mais importante é vociferar sobre quantas pessoas deixaram de trabalhar para serem sustentadas pelo governo e em como não existia racismo antes das cotas, ao invés de investigar porque, de repente, não mais que de repente, 913 classes na rede estadual de ensino de SP foram fechadas somente em 2016, dado que a secretaria estadual de educação justifica alegando que há 187.890 matriculas a menos esse ano. Mas essa conta não bate, nem mesmo se essas salas funcionassem em lotação total.

Já um certo sociólogo aposentado, diz-se que por ordens da ditadura aos 37 anos, merece toda discrição da mídia ao ver um problema intimo ser exposto por alguém que quer somente aparecer.

Um outro é dono de um helicóptero, que estava no seu quintal, cheio de ‘pó’, sendo pilotado por um contratado seu, mas a farinha não é dele, de certo algum funcionário da Dona Benta deve ter confundido o mercado da cidade com a propriedade do tal homem. Resta-me somente uma dúvida: Será que aquela farinha já vinha com fermento?

Assim tem sido quando se trata da velha picuinha estrela x tucano.

A grande mídia brasileira mais parece as ações policiais do RJ: para as comunidades, presídio; para a zona sul, presunção de inocência.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.