Chupa Alemanha, aqui é Brasil

Alemão provoca torcida após perder medalha. A foto é da Reuters :)

A Rio 2016 permitiu aos brasileiros se sentirem vingados do famoso 7x1 que o time da CBF tomou na Copa de 2014. E mesmo que não tenha sido grande coisa, afinal, o Brasil foi campeão empatando sem ter conseguido fazer sequer um gol com o Iraque e a África do Sul na primeira fase e enfrentando a dificílima Honduras na semifinal, o que mais me incomoda é que esse ouro trará consigo aquele famoso apagão sobre o que deveríamos aprender com as verdadeiras lições olímpicas.

Sobre como existem inúmeros brasileiros que vivem o drama de terem sido abandonados pelos pais, como aconteceu com Thiago Braz, o campeão olímpico do salto de vara.

Sobre como perdemos atletas com talento para a simples falta de apoio, como poderia ter acontecido com Maicon Siqueira, do Taekwondo, que há dois anos trabalhava de servente de pedreiro e garçom para sobreviver ao invés de treinar.

Sobre como só valorizamos um atleta negro e de origem pobre quando ele vence na vida se torna medalha de ouro, como Rafaela Silva, chamada de macaca após ter sido desclassificada em 2012, nas Olimpíadas de Londres.

Sobre como achamos uma bobagem e mimimi feminista comparar os salários de Marta e Neymar, sem ao menos lembrar que a primeira é uma espécie de Messi do futebol feminino (que mesmo sem ter ganhado nada com sua seleção, venceu tudo nos clubes por onde passou e foi cinco vezes eleita melhor do mundo) e o segundo que, ao ser questionado, chama a torcida de babacas otários.

Sobre como muitos acham que qualquer bolsa do governo é uma esmola que nunca deveria ter sido criada, que é coisa de comunista petista e que esquece que foi graças a um programa de bolsas que muitos atletas foram capazes de ter condição de treino para conseguirem competir com mínimas chances no Rio.

É uma pena que mesmo com tudo isso, a maior comemoração brasileira nos jogos olímpicos vá ser a vitória de um time que pouco se importa com o País, com a torcida ou com o espírito olímpico. Por essas e outras que aqui é Brasil e quem mereça um chupa sejamos nós mesmos, que pouco aprendemos com os verdadeiros heróis da Rio 2016.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Daniel Miura’s story.