Como sabotei minha "carreira"

Eu sofro da famosa síndrome do impostor.

Como percebi?

Me vi sendo diariamente soterrada por pensamentos de que não sirvo ou não sei fazer coisas que passei anos fazendo com tanta naturalidade. Não eram pensamentos comuns, eram pensamentos carregados de culpa, de dor, um sentimento de vazio enorme, um medo constante e uma vergonha absurda de receber elogios. Depois de ser chutada de várias oportunidades profissionais, que rolou aquele momento "AGORA VAI!", e simplesmente não deu em nada, toda essa sensação de "o que tô fazendo aqui" começou a me assombrar 24h. Inclusive tenho altos pesadelos sobre isso e em todos eles sou humilhada pelo meu time, no ambiente de trabalho.

Entendo muito o sentimento "pacote de vacilo"

Por muitas vezes não consegui acabar tarefas simples, sempre pressionada por uma voz aqui dentro que falava que eu não era capaz e se fosse, iam descobrir que eu não era capaz. Muitas propostas de trabalho eu nem consegui levar adiante e concluir, vira e mexe vem a sensação de que não vou conseguir fazer ou não mereço, então melhor eu me esconder nas cobertas, dormir e deixar o tempo passar.

Fiz várias escolhas erradas …

Pelo menos antigamente eu conseguia saber EXATAMENTE o que era bom ou não pra mim e algumas transições na minha jornada profissional foram extremamente necessárias.

Entendem?

Me desanimo muito com o lado ruim e errado do ser humano. Vi por várias vezes, pessoas que eu tinha como inspirações e pra me espelhar, virarem pó pela ganância e egoísmo, me levando a largar causas e projetos, pois já não tinha mais vontade de fazer parte. Com isso, joguei pro alto várias chances magníficas, sabotei meu currículo e me deprimo por isso ou comparo minha vida com a de pessoas que trabalham em uma empresa consolidada, bem sucedida, que conseguem viajar e pagar as contas. Acabo esquecendo de me perguntar o que me faz feliz, se estaria feliz se estivesse na posição profissional dessas pessoas.

Não sei se é o que quero :S

E de verdade … eu não estaria. Cada um é cada um e eu não sei fazer a mesma coisa todos os dias.

Venho mergulhada nesta síndrome desde o meu tratamento de câncer. Como não queria assustar ninguém, acabei lidando com a doença em OFF e poucas pessoas souberam. Me isolei bastante de muita coisa. Acabei me isolando TANTO, que me afastei do que me faz bem e minha criatividade, minha sinestesia, sumiam a cada leva de remédios pesados tomados. Foram momentos difíceis. Tive que abrir mão de muita proposta boa de trabalho, pois não tinha condições emocionais de levar em frente. Eu só queria que o tempo passasse, que tudo aquilo passasse.

Não deixa nem dormir e complica o acordar </3

Acabei me tornando uma pessoa pesada, pesada de conviver, de lidar e de trabalhar. Meus problemas pessoais eram muito maiores e mais importantes que qualquer projeto. Fui me afastando das coisas que gosto. Parei de ler, de escrever (ainda estou tentando lembrar como se escreve, mas meu português tá péssimo!), parei de ir ao cinema, ver séries, estudar, tranquei as aulas de Astronomia, as de programação, parei de desenhar, ouvir música, andar de bike … me sentia um buraco negro sugando a energia das pessoas em volta pra me manter de boa.

E isso é ruim :(

Faz pouco tempo que assumi (pra mim mesma) o que estou passando e agora estou abertamente compartilhando com vocês. Desde então, tenho tentado focar em resolver um problema de cada vez, para conseguir voltar a ser a pessoa confiante que eu era. Consegui finalmente me livrar de dívidas financeiras que me impediam de ter paz para trabalhar. Com ajuda de amigos, pessoas importantes e uns freelas, finalmente estou conseguindo pagar as contas em dia. Consegui um caminho para trabalhar remoto de alguns lugares e vejo esse movimento lento (sim, bem lento na verdade) como uma luz no fim do túnel para que eu volte.

Ou trabalhar em um café ~❤

Ainda é um puta desafio acordar e falar "OK' vamos lá acabar aquele projeto", "OK, vamos lá entregar essa coisa", "OK, tô animada pra caramba pra ver isso rodando ou funcionar!". Ainda tenho um longo caminho pra voltar a ser feliz comigo profissionalmente. Não sei mais no que eu sou boa, ou o que sei e consigo fazer. Minha perspectiva tá meio bagunçada, embaçada … Eu sei o que gosto de fazer, mas ainda não sei muito bem como chegar lá com segurança.

Juro que to tentando comprar!

Percebi que eu gosto muito de fazer o bem (mesmo não sendo sempre um exemplo disso, afinal a gente erra bastante), de ajudar pessoas e de falar sobre coisas que aprendi ou sei, mesmo ainda não sendo nenhum tipo de GURU de nada, e nem quero ser. Gostaria de conseguir voltar a ser um referencial para as pessoas, mas pra isso preciso arrumar minha cabeça, minha alma e meu coração. Ter pés firmes, sabe?

Como me ajudo no dia a dia?

Tento me apegar à lista de coisas boas que faço ou fiz. Pergunto a pessoas mais próximas o que eu fiz de importante na vida delas pra tentar sair da minha perspectiva de fundo do poço, minha auto-estima tá há uns anos bem bagunçada, parece que tudo que toco dá errado, não mereço que dê certo.

Pior coisa é não acreditar nos elogios verdadeiros.

Tento não comparar a jornada profissional dos outros com a minha atual situação e espero de coração que eu consiga sair desse estágio, que eu consiga voltar a inspirar, ser criativa, e fazer coisas boas para mim, para as pessoas em volta e sem precisar me sabotar.

Ajuda muito quando acreditam em mim e me dão várias chances de começar de novo, de me redimir. Eu posso! Uma parte lá no fundo sabe que posso e sou capaz, mas tenham paciência que vou desistir várias vezes até finalmente conseguir fazer a roda girar ~❤

Me perdoa e acredita em mim ❤