steve lacy e uns outros negocinhos sobre ser criativo aos 18 anos

Lacy por Gunner Stahl

Alguns meses atrás, ainda em 2016, um membro específico da The Internet tinha me chamado atenção por causa de uma coisa: a idade. Steve Lacy, só 18 anos e guitarrista de uma banda que surgiu quase de repente, foi indicada ao Grammy no terceiro álbum (o primeiro que teve a participação dele e no qual ele tem créditos de produção individual em 6/12 músicas!!) e continua sendo bastante promissora. Bom, foi só isso: eu fiquei impressionada com a idade e não pesquisei muito mais sobre ele. Me satisfiz ficando só com o som meio dreamy aperfeiçoado pela voz de veludo da Syd que a Internet fazia: bandão-da-porra-vontade-de-morrer-de-tão-gostoso.

Acontece que uns meses depois e, ainda com 18 anos, Steve lançou sua primeira demo com 6 músicas, entre elas a destaque é Dark Red, que diz muito sobre a ansiedade pessimista que assombra muitas relações da nossa geração.

O EP é bom demais e dessa vez eu acabei viciando e tive que pesquisar mais sobre ele, aí descobri que o moleque tem váaarias músicas na internet (não a banda rs) que não foram lançadas oficialmente. Foram só postadas no soundcloud. Todas com muita qualidade e quase todas feitas num iPhone (sim…….gravadas e editadas!). Algumas das não lançadas, na minha opinião, foram até meio injustiçadas. Tipo C u girl, que entre todas as que eu escutei, é uma das minhas favoritas.

https://www.youtube.com/watch?v=PBK3k9W0lh8

Além disso tuuuuudo: Steve, repito, aos 18 anos, também tem créditos de produção com J. Cole, Twenty88 (duo de r&b do Big Sean com a Jhene Aiko), no trabalho solo da Syd e, pra começar o ano com chave de ouro, ele também marcou presença no DAMN., novo trabalho aclamadíssimo do Kendrick Lamar. Lacy tem co-autoria na faixa Pride, além de ter co-produzido e ter voz presente no som. Tudo indica que 2017 é o ano dele.

Depois de ter ficado tão surpresa com um cara de 18 anos fazendo tanta coisa boa e bem sucedida eu me perguntei: por queeeee? Assim, eu tenho 18 anos. Eu conheço pessoas de 18 anos. Eu sei o monte de coisas que a gente faz e pode fazer. Por que ver um de nós fazendo coisas grandes ainda surpreende? Um monte de artista começou novinho assim. Há 3 anos atrás a Lorde tava cantando pra multidões, ganhou dois grammys aos 17 anos. E isso é uma coisa! Eles não são exceções em termos de talento e criatividade. É importante termos jovens em posições de destaque na música (e nas artes em geral) porquê isso inspira outros jovens, nos motiva a criar ou simplesmente nos conecta à arte com um fator importantíssimo: identificação. A nossa geração é foda e cria coisas absurdas, mas ainda precisa de mais motivação e espaço — o segundo, sabemos, têm crescido independentemente com a criação de inúmeros selos, feiras e até só com a onipresença da internet.

Tem gente que compara o som do Steve Lacy com Thundercat e até com o Mac Demarco, mas, o som de um Cara Com 18 Anos Em 2017 (e toda a carga emocional e nostálgica que essa geração pode ter num geral) só o Steve pode fazer. Não que não possa rolar identificação com som de pessoas mais velhas ou mais novas ou de qualquer época atrás: mas é importante termos pessoas que falem sobre e para a nossa geração. Isso conecta as pessoas. Precisamos de mais jovens criando coisas!