As olimpíadas nossas de cada dia

Seja você uma pessoa que vibrou com as olimpíadas ou preferiu adotar um comportamento de crítica social, eu lhe respeito e sei que você tem bons motivos para isso.

O fato é que elas passaram pelo Brasil e devemos aproveitar para extrair o máximo possível de boas lições importantes para o nosso futuro.

Lega olímpico é isso, o evento vem e deixa essas lições, cabe a nós aprende-las e coloca-las em prática. A melhor prova disso é que outros países viveram isso e souberam, ou não, aproveitar a oportunidade.

Vou listar aqui minha pequena colaboração de ítens dos que entendo que podemos tirar grandes lições:

1- Auto estima

Vi muitas frases do tipo “O melhor do Brasil é o brasileiro”, algumas em tom de ironia e outras com grande alegria. O fato é que quando se tem boa auto estima você se enxerga de maneira otimista e faz as coisas darem certo.

A cerimônia de abertura foi excelente nesse sentido, mostramos pro mundo que sabemos fazer coisas lindas quando queremos. Basta acreditar

Que tal fazer grandes cerimônias de aberturas na sociedade? Na economia, na política, na educação, na saúde.

Sim é possível!

2- Intolerância com a corrupção

Imagine que foi descoberto que um atleta de outro pais venceu um brasileiro subornando o juíz. Você provavelmente ficaria indignado e diria que essa atitude deveria ser tratada com rigor

Você teria a mesma atitude se o beneficiário do suborno fosse o atleta brasileiro? Tomara que a sua resposta sincera seja sim. A corrupção deve ser intolerável, a minha e a do outro.

Corrupção é corrupção, não é “se dar bem”, “ser experto” ou é justificável porque o outro também faz.

A corrupção é um problema endêmico da sociedade brasileira, não apenas da política, da polícia ou algum outro setor da sociedade. Será resolvido quando a cultura da corrupção acabar e o Brasil não tolerar mais isso.

A primeira corrupção que eu não devo tolerar é a minha!

3- Desigualdade

Já percebeu que na hora que o Brasil tem uma grande vitória esportiva todos comemoram? A diferença social e econômica nesses momentos diminui.

Uma coisa que aprendi praticando esporte é que ele ensina a ser menos egoísta e ter menos medo do outro, isso tem tudo a ver com desigualdade.

No fundo concentramos renda porque queremos nela encontrar segurança, e isso acontece pelo medo dos desafios da vida. O grande segredo é perceber que juntos, repartindo e colaborando, as coisas dão mais certo do que retendo e concentrando.

Não estou aqui fazendo apologia nenhum modelo socioeconômico, faço apologia a algo que vai além disso, o altruísmo. Principal remédio para desigualdade

4- Respeito

Vimos durante esses dias diversas atitudes lindas como atletas que deram força a adversários e outros que admitiram para arbitragem quando estavam errados. Esse tipo de valor constrói muito mais uma sociedade do que qualquer medalha.

Não adianta vaiar um atleta na hora do seu salto para tentar ajudar um brasileiro, menos ainda na premiação, isso apenas serviu para produzir lágrimas em um ser humano. O jogo que se ganha limpo tem sabor melhor pra quem venceu e pra quem perdeu

Mentir pra esconder algo de errado que se fez numa noitada também não resolveu nada.

A sociedade também precisa de jogos limpos.

Agora é hora de colocar tudo pra funcionar, as olimpíadas continuam no dia a dia das nossas vidas, que sejamos todos olímpicos de verdade e não apenas um slogan de um canal de TV.

Que venham novas medalhas

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.