Vamos falar de segurança pública de maneira técnica?

Em sete tópicos conseguimos refletir bem sobre o que acontece hoje na segurança pública, lembrando que aqui estou levando em consideração argumentos técnicos e não mero discurso eleitoreiro de combate a violência com mais violência, que agrada uma parcela da sociedade mas não tem embasamento forte.

Reflita:

1- Os números da criminalidade no RJ voltaram ao mesmo patamar de antes da implantação das UPP’s, isso mostra que investir em modelo de enfrentamento continua sendo enxugar gelo e muito mal enxugado, já que elas acabaram sendo apenas unidades de polícia repressora que não trouxeram junto alternativas sociais.

2- O grande motor da criminalidade continua sendo a desigualdade social (elas andam de mãos dadas). Os países mais criminais são os mais desiguais, os menos criminais são os menos desiguais, isso não é coincidência.

Entendendo isso você percebe mais fácil que em tempos de crise econômica e aumento de desigualdades, fatalmente teremos problemas

3- O atual modelo de combate às drogas vem se mostrando um fracasso total. Hoje em torno de 80% do crime no Brasil está ligado, direta ou indiretamente, ao tráfico. Insistimos em viver na década de 90 na segurança pública.

4- O modelo de polícia militar é ultrapassado. Temos a polícia que mais morre e que mais mata no mundo e insistimos em dar um treinamento espartamico de soldado a nossos policiais

Quem defende o fim da polícia militar não defende o fim da polícia mas que ela deixe de ser militar, até para que os polícias possam ter um treinamento mais humano, próximo da população e de acordo com a necessidade urbana de segurança pública.

5- Ter duas polícias (uma investigativa e outra ostensiva) ajuda mais ainda a descordenar as ações de segurança, precisamos de uma polícia única, com ações coordenadas e inteligência no combate ao crime, principalmente na investigação dos crimes, já que hoje a grande maioria das prisões não tem nenhuma prova além da palavra de quem fez a prisão e a maior parte dos crimes de assassinatos não são investigados.

6- Nosso sistema prisional é terrível, e do jeito que está raramente recupera alguém.

7- As fronteiras são mal vigiadas e as armas tem diversas formas de chegar no crime.

Ps: Você escreve isso e geralmente, logo abaixo vem um monte de gente dizer que isso é tudo bla bla bla de direitos humanos e que o negócio é usar a força mesmo e mandar os vagabundos pra cadeia metendo bala em todos.

Daí você entende porque a segurança pública está do jeito que está.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.