Corrosão

As palavras
 Vão saindo de mim
 E eu tenho medo de encará-las

São sentimentos que eu não gosto de olhar de frente 
 Mas eles saem das minhas mãos e furam o papel
 Me rasgam junto
Corroem cada espaço do meu corpo

O amor 
 A raiva
 A tristeza que eu escondo 
 Me esbofeteam sem que eu possa fugir

Pode ser que 
 As palavras me salvem
 Algum dia
 Porque me contorcem até que eu veja o que não quero
 E mais preciso

Mas agora só me sinto dilacerada
 Como se mãos alheias e intrusas prensassem meus seios
 Ou água escaldante queimasse minha pele.