Tudo na vida são etapas, lições, que aprendemos com um objetivo, e ao final além do objetivo inicial vemos que essas lições podem ser utilizadas em mais de uma etapa de nossas vidas e nem havíamos mirado ou tínhamos imaginado.

No início de 2016 resolvi fazer teatro, não porque queria ser atriz, mas sim porque gostaria de melhorar minha comunicação para e com as pessoas, em suma, poder palestrar e dar aulas.

Um amigo me recomendou uma oficina e lá fui eu me inscrever e fazer a oficina Corpo, Jogo e Comicidade é voltada nas técnicas da linguagem do palhaço para encontrar a comicidade, ela não se atem apenas a isso, mas é seu foco. Recomendo fortemente a qualquer pessoa como um processo de entendimento pessoal e vivência.

Na primeira aula o prof. Fábio Castilhos, da TrupeZonadeTeatro, já nos fez uma técnica para relaxar, uma forma de se espreguiçar, sentir o corpo e o espaço a sua volta e aos poucos isso ia virando uma dança. Os quatro elementos — água, terra, fogo e ar — dando forma a essa dança. Eu não sou muito boa em relaxar, meus amigos que me conhecem sabem disso, mas consegui relaxar no último elemento e me entregar quase sem pensar, apenas sentindo.

Mas uma das técnica que ele utilizou e achei deveras interessante é a de andar pela sala olhando o espaço e as pessoas nela, perceber elas. Caminhar entre elas, parar na frente de uma pessoa, respirar e olhar, sem dizer nada, apenas olhar, reconhecer, seguir em frente. Em uma delas era para dizer seu nome, em outra dizer o nome do colega e assim por diante, sempre olhando, sempre vendo o olhar, reconhecer, espaço, ser humano.

Pensei em como isso pode ser aplicado em uma empresa, com pessoas de uma equipe, equipes diferentes ou mesmo quebrar o gelo em uma oficina seja ela ágil ou não como forma de pessoas se conhecerem.

Ficam alguns questionamentos também: você vê as pessoas com quem trabalha? Com quem convive? O espaço onde você está, você se apercebe dele ou apenas ocupa?