Segredo da redação nota 1.000 no Enem

Pode não parecer, mas o Enem é uma mãe! Chega de choro, minha gente…

Vem cá, não chora não! Pare de se culpar, pare de achar que é incapaz. Você pode, sim, tirar uma nota decente na redação do Enem 2016. Eu confio em você e digo mais: você pode tirar a tão maravilhosa nota 1.000. Mas antes de eu te dizer o segredo da nota máxima, deixa eu te contar algo que provavelmente você não sabe: quando o assunto é a prova de redação, o Enem é uma mãe!

É verdade. A maior evidência disso é que, no quesito redação, o Enem não apenas perdoa os teus erros — assim mesmo, no plural! — como ainda te dá chances de acertar e vencer na vida. Eu sei, parece bom demais para ser verdade… Então vou ser mais direto contigo, sem enrolação: uma redação nota 1.000 pode, sim, ter alguns erros.

Você pode esquecer o acento de alguma palavra; pode errar a pontuação uma vez; em verdade você pode até mesmo errar a concordância verbal ou ainda riscar um termo que você escreveu por engano (ou por burrice…). Não tem problema! Erros assim não tiram pontos da sua redação desde que não sejam repetidos. Para a redação do Enem vale o ditado: errar é humano, persistir no erro é burrice.

Você entendeu muito bem: dá para tirar nota boa, dá para tirar a nota 1.000 na redação do Enem ainda que você cometa erros. Qual outra prova do Enem te dá o direito de errar? Nenhuma. Então já está na hora de parar com essa mania de ver a produção do texto dissertativo-argumentativo como o bicho-papão.

Com esses olhos cintilantes e sorrisão Colgate você acha mesmo que o “monstro da redação” é assim tão malvado?

Agora que você está mais aliviado com o fato de que pode cometer alguns erros, sem sofrer qualquer pena na prova de redação do Enem, eu vou te mostrar uma estratégia que você deve articular para garantir estar o mais próximo possível da nota 1.000.

Primeiramente você precisa entender que sua produção de texto será avaliada de acordo com 5 competências: (1) adequação à norma culta; (2) adequação ao tema e às características do texto-dissertativo; (3) capacidade de articular informações para além dos textos de apoio presentes na prova; (4) capacidade de articular variados elementos coesivos (“além disso”, “dessa forma”, “contudo”, “não apenas”, “mas também”); (5) capacidade de produzir uma proposta de intervenção social com riqueza de detalhes.

Saber a respeito dessas competências é importantíssimo! Elas são as “regras do jogo” e isso é ótimo para você uma vez que, ao propor regras para avaliação do texto dissertativo, a “mamãe” Enem dá uma ajuda e tanto para quem não tem muito talento para escrever. Assim posso te afirmar que a prova de Redação do Enem não é tarefa para grandes autores, jornalistas ou literatos! Não importa se você tem ou não a escrita mais criativa do mundo. O importante é escrever segundo as regras, as competências exigidas pelo Enem.

“Facinho” né? Não precisa escrever tudo certo e nem tem que ser “a pessoa” mais criativa! Isso, isso, isso!

A estratégia então é você fazer o maior número de pontos possível em cada uma das competências exigidas. E importa lembrar que cada um desses requisitos da redação do Enem vale até 200 pontos (a continha é simples: 200x5=1.000). Particularmente motivo meus alunos a levarem para o dia da prova 600 pontos garantidos e então batalhar pelos 400 restantes.

E como funciona essa estratégia? Primeiramente você deve ter prática de produção de texto! E então será possível avaliar em quais competências você é melhor. Na estratégia dos “600 pontos no bolso” é exigente que você tenha preparação adequada para contemplar de forma especial pelo menos 3 competências. Não é fácil! Mas é possível. Esteja afiado nessas três competências e elas serão um desafio a menos na hora da prova.

É claro que o ideal é que você esteja muito bem preparado para corresponder adequadamente às 5 competências. Especialmente se a sua motivação é passar nos cursos mais concorridos como Medicina, Direito, Engenharia, entre outros. Isso é possível, mas será ainda mais difícil se sua preparação iniciar apenas no último ano do Ensino Médio… Produção de texto, assim como qualquer outra habilidade, necessita treino. Quanto mais textos você escrever, quanto melhor você se informar, mais preparado estará. E isso, em geral, não acontecerá de modo satisfatório em apenas um ano.

“E o segredo da redação nota 1.000? Eu quero é saber o segredo!”

No que se refere ao segredo da redação nota 1.000, o que posso dizer com segurança para você diz respeito à completa impossibilidade de chegar à nota máxima da redação do Enem sem treinar com afinco a habilidade de construir uma conclusão com “proposta de intervenção detalhada” e sem um “background cultural” interessante.

Se você quer alcançar a nota máxima da redação treine, treine bastante, a forma como você conclui os textos. Esqueça essa mania de escrever qualquer coisa no final desde que haja uma proposta de “solução”. Geralmente, apenas três linhas não fazem uma boa conclusão! Faça o dobro. Faça sua proposta de intervenção com o triplo de linhas! E atente para o fato de que ela -obrigatoriamente — tem de estar relacionada com o seu desenvolvimento. A conclusão não é uma parte extra no texto, ao contrário, ela deve retomar a tese e explorar os agentes que você citou no desenvolvimento.

Além disso tem o que eu chamo de “background cultural” que diz respeito ao teu conhecimento de mundo, ao teu poder de relacionar e sintetizar informações que tem tudo a ver com o tema proposto. Quem apenas se volta para os textos de apoio, ainda que não os copie, perde a oportunidade de elevar sua nota.

Espero ter te ajudado! Se você tiver alguma dúvida sobre o assunto, manda um email para mim e vamos conversar: redacaonograu@gmail.com

Bons estudos! Boas produções! ❤

Wagner Moura 
redacaonograu@gmail.com

Like what you read? Give Wagner Moura a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.