Como um pedido de demissão transformou o meu mindset

Tomar uma decisão não é uma tarefa simples. Por vezes, chega não ser concretizada devido ao medo do novo.

Diante de tantas adversidades no ambiente de trabalho, em um conjunto de insatisfações, explicados em um futuro texto, escolhi pedir demissão.

Com um coração aflito e receoso, o medo pairava em dois rumos: o de ir e me arrepender e o de permanecer e me arrepender por não ter ido. De fato, eu sabia que as duas vertentes se findariam com qualquer uma das minhas decisões. Primeiro porque o novo emprego não tinha o meu perfil, mas permanecer me faria a mesma.

Recebi uma proposta e duas contrapropostas. Fiquei com a proposta. E abri a minha mente para coisas jamais percebidas com tanta euforia.


1. Os elogios que me fizeram enxergar com novos olhos

Ao comunicar meu pedido de demissão, recebi uma contraproposta. Mas não foi a contraproposta que alimentou meu ego, por perceber que ainda me queriam no time; foram os feedbacks sobre o meu trabalho, os meus comportamentos e os meu resultados visto por olhares distintos aos meus que me fizeram perceber a minha potencialidade. Os elogios, tão bem aclamados ao meu coração, mostraram a mim que eu sou capaz.

E o mais nobre dos feedbacks, não era somente o conteúdo que ele portava, mas de quem os proclamavam: pessoas admiradas por mim, que inspiravam a minha carreira.

Ganhei asas com àquelas palavras e me senti de alma lavada.


2. Conheci mais de mim

Quando se enfrenta uma zona de conforto, o processo de mudança é irrefutável, e é com ele que devemos aprender. Em uma das tentativas de contraproposta, me balancei com a expectativa de permanecer, mas mesmo assim neguei, e foi então, que eu percebi que após transpassado um período do meu desligamento o meu orgulho não me permitiu voltar atrás da decisão que eu já tinha comunicado. De fato, ganhei a oportunidade de trabalhar os meus defeitos e transformá-los em algo insignificante.

Dentre tantas percepções o medo de perder a minha essência me apavorava e me fazia questionar: será que eu despertarei essa característica de passar por cima dos outros custe o que custar para conseguir ser sucedido, como tantos aqui fazem? E a resposta era não. Eu jamais me permitirei perder a minha essência em troca de supérfluos. E sim, acredito no sucesso como um todo, pessoal e profissional, por meio de atos saudáveis, por meio do protagonismo.

E naquele período eu não tinha maturidade o suficiente para me pôr em xeque. Contudo o processo de transição de troca de emprego me fez conhecer mais de mim. E hoje, eu tenho convicções do meu valor, do meu propósito e da plenitude das minhas competências e comportamentos. Porque eu ganhei novos olhos para analisar o passado, investir no presente e construir o meu futuro.


3. O propósito

Passado o desligamento, comecei o novo, então veio o arrependimento. Gerei expectativas em algo que era totalmente diferente do que eu admirava como uma cultura de empresa, logo veio a frustração.

Mas como diz o sábio provérbio chinês “HÁ TRÊS COISAS QUE NUNCA VOLTAM ATRÁS: A FLECHA LANÇADA, A PALAVRA PRONUNCIADA E A OPORTUNIDADE PERDIDA”. Se eu não podia voltar atrás, eu podia viver o presente, eu podia enxergar o futuro. Foi então, que com o novo, depois de passar um tempo no limbo, eu de fato descobri minhas paixões, e meu mindset explodiu, minha vida se ressignificou, e descobri meu propósito profissional.

E minha paixão por processos, por otimização, por melhoria contínua, por análise e tratamento de dados veio a tona, e eu percebi que àquilo que eu já tinha feito na vida me davam prazer, e esses passaram a ser os meus objetivos.

Portanto, meu propósito me faz querer trabalhar em um time que o sentimento de pertencer valha a euforia de cada desafio, de cada conquista. O sentimento de ser valor perante à sociedade, ao meio ambiente e principalmente ao ser humano que existe por trás de cada profissão. Ao agregar que podemos dar ao mundo em gratidão à vida.


Foi então, que o pedido de demissão, o confronto ao novo, me fez brotar do verde ao maduro. E assim eu caminho com o meu lema de vida, que antes eu não tinha, que me desafia todos os instantes: BE 1% BETTER EVERY DAY.