An Affectionate Message for the Newbies

Após ler vários posts, resolvi me arriscar e tomei coragem para escrever sobre minhas experiências sobre as angústias, medos, ansiedade daqueles que estão ingressando na carreira profissional, com intuito de ajudá-los de alguma forma.

Sou graduado em 3 cursos superiores e mais um curso superior incompleto. Minha primeira faculdade foi Odontologia. Depois cursei Engenharia Elétrica até o 3° ano e desisti. Em seguida resolvi cursar simultaneamente o curso de Comércio Exterior, no período diurno, Logística, no período noturno e ainda trabalhava à tarde. Logo que conclui simultaneamente as 2 últimas graduações, comecei a trabalhar com Tecnologia da Informação, área que atuo até os dias atuais. Admiro aqueles que desde muito cedo escolhem uma determinada profissão, graduam-se e trabalham na área.
Se você leu até aqui, com certeza deve estar se perguntando:

“Como alguém que não sabia o que queria e que aparentemente trabalha com algo que não tem a ver com sua formação, pode me dar conselhos sobre o ingresso na vida profissional?”.

Quando terminei as 2 últimas graduações de nível superior, nem eu sabia a resposta. Não me imaginava trabalhando com TI. O que me direcionou para a carreira? Posso dizer que foi sorte! À época, eu tinha acabado de me graduar, tinha investido até meu último centavo pagando 2 faculdades e estava há 2 meses desempregado. As contas se acumulavam, eu participava de diversos processos seletivos e nada de conseguir um emprego.

Um determinado dia, recebo por e-mail um alerta de uma vaga: Consultor Funcional Trade & Logistics para trabalhar com ERP Microsoft Dynamics AX. No momento eu pensei: “Bom, deixe-me ver a vaga. Estou aqui sem fazer nada mesmo.”.
Ao ler a descrição da vaga, vi que a empresa estava contratando profissionais que tinham conhecimento de negócios, para serem treinados em sistema de gestão empresarial — ERP. O salário era o dobro daquele oferecido pela vaga que melhor remunerava na área de Comércio Exterior ou Logística e chegava a ser até 4 vezes maior que a média. Lembro que pensei: “Achei meu emprego!”. Enviei meu currículo e junto todas as minhas esperanças depositadas. Passei dias de ansiedade até ser chamado para a entrevista. 
No dia da entrevista, procurei ler quais eram as funções desempenhadas por um consultor. Reli as funções exercidas por mim anteriormente que se encontravam descritas em meu currículo e fui vestido de forma que considerava adequado a um consultor de negócios.

Por coincidência e sem saber, fui entrevistado por um dos sócios da consultoria, que era dentista formado e tinha largado a profissão para se dedicar à área de TI. Lembro que a entrevista fora difícil. Havia muitos candidatos e vários com mais experiência que eu e ao final, voltei para casa desanimado. 
Recordo-me como se fosse hoje a alegria quando recebi a notícia que havia sido selecionado. Fui contratado juntamente com mais 12 pessoas para passarmos por um processo trainee, incluindo curso de formação.

“Assim é muito fácil. Vai ter sorte lá na …”. Se você pensou isto, calma, porque tem mais.

Depois de ter ingressado na profissão, fui entender como funciona o mercado de trabalho que atuo. Existe carência de profissionais e raramente se contratam novatos ou há processo trainee. O mercado é fechado e muito difícil ingressar. Você pode arriscar e melhorar um pouco suas chances se fizer um curso de formação, que custa bem caro e mesmo assim é provável que não consiga.

“…Tem gente que nasce virado para a lua mesmo!”

Hoje, após 7 anos, dos 12 selecionados somente eu e mais uma pessoa continuam a atuar na área. Por que?

A resposta é aparentemente simples, mas composta por várias razões: a principal é que após ter tentando outras profissões, finalmente encontrei aquela que realmente tenho paixão.

Hoje sou reconhecido como Consultor Especialista, tendo passado pelas fases de Consultor Júnior, Pleno e Senior. Dedicação, perseverança, estudo continuado, desenvolvimento de habilidades, postura profissional, compromisso e propensão a assumir desafios cada vez maiores, arriscados e complexos, são características que adotei. Cumpri-los tornam o dia a dia de qualquer profissional estressante, difícil e podem torná-lo maçante.

Porém, da mesma forma que acontece quando você está apaixonado por uma pessoa, quando você tem paixão pela sua profissão, parece que as coisas, por mais difícil que sejam, tornam-se mais fáceis. A conquista, depois de obtida, torna-se bem mais gratificante.

Também tive experiências ruins durante a passagem rápida por duas consultorias, mas foram experiências muito pequenas, se comparadas à minha paixão pela profissão e pelas ótimas experiências, que tive na passagem por outras.

Quando realizo a entrega de um projeto a um cliente é uma sensação comparável a entregar aquele presente, que foi pensado e comprado com carinho para a pessoa pela qual se está apaixonado. É a realização profissional e pessoal e a chance de deixar a minha marca.

Aos mais ansiosos, assim como maturidade, aumento da remuneração financeira vêm com o tempo.

At last but not least:

As pessoas dizem que ganham salário. Todos os dias acordo com a expectativa de obter cada vez mais reconhecimento profissional e, em cada uma das minhas atitudes, eu sigo o seguinte pensamento: “Eu não ganho salário. Eu o faço por merecer!”.
Like what you read? Give Marcelo Shimura a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.