ASSISTIR AO BBB ME TROUXE ALGO DE BOM, MAS AINDA ODEIO

Eu acompanhei o BBB na íntegra uma única vez, no ano em que a Grazi Massafera participou e só. E de uma maneira geral, com exceção do The Osbournes e os de comida tipo Cake Boss, Hell’s Kitchen e recentemente o Masterchef, eu detesto reality shows. Acontece que como estão rolando muitos comentários nas internets, acabei vendo alguns episódios pra entender tanta falação, e cheguei à conclusão que continuo achando o programa uma b***a, mas preciso dizer que como um experimento é genial. Explico:

Ao meu ver o BBB é um programa como diversos que existem por aí, com personagens que de maneira geral se repetem e um script que vai sendo escrito e mudado sempre visando aumentar audiência. Basta observar que independente do sexo, sempre tem o personagem bozinho, o vilão, o esforçado que batalha muito, o amigo de todos, o estrategista, as beldades, o casal fofo, alguém de mais idade, e esse ano a novidade fica por conta do “casal neurose” que dispensa comentários, enfim sempre mais do mesmo.

Sim, eu acho que ali é tudo encenado, penso que a cada um é dado um personagem pra trabalhar, pra seguir a linha do tipo: “você será o fdp que vai acabar com a harmonia da casa”. Claro que diante disso, muita coisa acaba se desenrolando e muito acaba acontecendo como um reflexo da personalidade da pessoa. Não estou querendo justificar comportamentos, não concordo com muitas coisas que vi e ouvi, em alguns momentos acho que todos os limites da baixaria foram ultrapassados, e não duvido que o cara que foi expulso realmente é um ser machista e com tendencias violentas, mas meu ponto aqui não são os participantes, porque como acabei de dizer e insisto, acho que tudo ali é “combinado”.

Não é esse o ponto que observo mais, e sim o fato de que eles vendem a ideia de que é um experimento para avaliar como as pessoas reagem ao confinamento dentro de uma casa, mas quem está sendo submetido a um experimento, não é quem está lá, mas sim o público, e dá pra observar muita coisa. Acompanhar por alguns dias e ver gente “aqui fora” se digladiando, defendendo ou justificando comportamentos duvidosos e/ou violentos como normais ou como “coisa de casal”, ver coisas do tipo “ah fulana é uma cobra invejosa teve o que mereceu”. Os comentários são com certeza piores que o programa e me deram enjôo em alguns momentos e medo em outros.

Não sou perfeita, muito menos santa, mas sinceramente não entendo o prazer que as pessoas sentem em “ver o parquinho pegar fogo”, ver baixaria, xingamento, agressão, isso sem falar no tal do edredom…[alerta de ironia]Sexo, uma coisa tão extraordinária né? Ninguém faz sexo, sexo oral então, coisa do outro mundo, como essas pessoas normais fazem isso?? Não entendo pessoas pagando pra assistir 24h disso e depois ir pras redes julgar, julgar muito e não enxergar que no final elas é que estão sendo manipuladas a emitir opiniões e muitas vezes brigar, se baseando na imagem de pessoas que elas não conhecem e talvez não sejam nada daquilo.

É justamente nisso que acho o BBB genial, um experimento em massa onde as cobaias nem se dão conta que estão sendo testadas ano após ano, e ainda adoram!

Não quero generalizar e criticar dizendo que quem assiste não tem cultura ou qualquer outra coisa do tipo, gosto não se discute, tem gente que assiste como se fosse um novela e pronto, segue a vida..mas observando as discussões, ofensas e um mundo de reportagens sensacionalistas sobre o tema, não tive como deixar passar batido as minhas observações.

Existe um ditado que diz que quando Pedro fala mal de João, eu sei mais sobre Pedro do que sobre João e por isso acompanhar o BBB também me serviu para me situar e pensar sobre as pessoas com quem me relaciono. As conclusões?

  1. Ufa, em geral ao meu redor só tem gente com quem ao meu ver vale a pena conviver.

2. Que mundo é esse em que eu tou vivendo??

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Márcia Neiva’s story.