3ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal

Projeto que cria secretaria e cargos é retirado de pauta para adequações. Prefeito e vereadores discutem a medida e outras questões administrativas do município

Plenário lotado na Sessão que tratou de temas polêmicos

Tudo indica que a pressão popular nas redes sociais fez efeito, pelo menos momentaneamente. O projeto responsável por criar duas secretarias, além de cargos comissionados (indicação) e efetivos (concursados) foi retirado de pauta para adequações, algumas horas antes do início da 3ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal, ocorrida na última segunda-feira (20/02). O presidente José Maria informou ao Mova-se! que o projeto estava em pauta para ser discutido e votado naquela Sessão, mas saiu a pedido do executivo e da base aliada para ser melhor tratado entre os parlamentares.

O prefeito Alex Salvador e o vice Wolney de Oliveira participaram da reunião. Eles defenderam a medida e também responderam a questionamentos dos vereadores de oposição sobre temas pertinentes à administração da cidade como licitações, saúde, segurança e carnaval.

Apesar do plenário lotado e dividido igualitariamente entre servidores da prefeitura e populares, a Sessão transcorreu tranquila.

O vereador Leo do Social falou da preocupação com os projetos, pois vão onerar a folha de pagamento da prefeitura em quase 3 milhões de reais ao ano. Disse que o momento é inoportuno, devido crise econômica e adiantou votar contra. Ele questionou ainda a lisura de uma licitação para o carnaval, ao qual ele e os colegas denunciaram ao Ministério Público.

Mesma linha seguiu o vereador Ricardo Oliveira, afirmando ser contra o projeto, pois não é o momento de aumentar gastos e sim cortá-los. Cobrou também a efetivação imediata dos concursados, lembrando a decisão do juiz da comarca municipal. Aproveitou para reafirmar que o projeto foi retirado de pauta por causa de toda a polêmica e que isso fora definido em reunião realizada às 18h.

A vereadora Rose da Saúde assumiu ter denunciado o projeto ao Ministério Público, explicando que não é o momento de criar secretarias e mais cargos. Ela denunciou casos de nepotismo na prefeitura, falou sobre alguns problemas na saúde e disse preocupada com a segurança no carnaval. Pediu também providências sobre as denúncias de que catadoras de latinha teriam que comprar abadás para entrar na área da Julifest.

Por fim, o vereador Rocha do PT também criticou o projeto, responsável por onerar os cofres da prefeitura em 252 mil reais por mês em momento difícil da economia. Falou que dos 60 cargos contidos no projeto, 29 são de carreira e 31 de nomeação, sendo que os segundos têm impacto econômico cinco vezes mais do que os primeiros. Disse que o município está na contra mão de todo o país, no qual as prefeituras cortam ao invés de aumentar os gastos.

O vereador Doutor Edson foi um dos poucos aliados do prefeito disposto a defender o projeto veementemente. Segundo ele, o município precisa ser eficiente e é disso que a medida trata. Na opinião dele, a administração precisa descobrir o que deve ser melhorado e tem certeza que tal desconcentração administrativa trará benefícios para a cidade. O aliado não poupou críticas aos colegas da oposição ao apresentarem denúncia ao Ministério Público, antes do projeto ser discutido na Casa.

O mandatário do município, Alex Salvador, defendeu os projetos, explicando a necessidade deles devido ao crescimento da prefeitura e negou que oneram os cofres públicos. Ressaltou a importância da criação da Secretaria de Transportes, pois o setor cresceu muito e necessita de gerenciamento próprio. Falou da importância de se aprofundar as discussões sobre a medida na Câmara, mas pediu rapidez no trâmite.

Aproveitou para criticar a imprensa sensacionalista e perseguidora, citando descontentamento com o entrevistador que o questionou sobre denúncia de irregularidades em licitação de carnaval. Falou dos dissabores com os efetivos, citando os concurseiros, possuidores de pouco compromisso com o trabalho e menos ainda apreço pela cidade. Negou qualquer tipo de irregularidade nas licitações da prefeitura e garantiu que os aprovados no concurso estão sendo chamados dentro do prazo de validade do mesmo.

Projetos, indicações e requerimentos
Além dessas discussões, os vereadores validaram a pauta a ata da pauta passada. Eles apresentaram uma série de indicações, solicitando a execução de serviços e reparos em bairros e distritos e alguns requerimentos. Por fim aprovaram em segundo turno o projeto de lei do vereador Max Fortes, que nomeia alamedas no Residencial Caquende e São Gonçalo.

Os projetos de lei 02 e 03/2017 responsáveis por alterar a estrutura administrativa da prefeitura e o Plano de Cargos e Valores dos servidores devem ser discutidos durante a semana e espera-se que estejam aptos para votação na próxima Sessão Ordinária.