10, que é par

eu sempre gostei de números pares. não tem explicação, mas parece que é o mais… certo? padrão? realmente não sei a lógica, só sei que me sinto melhor com números pares.

hoje é 16. foram dez 16. quantidade de dias sem, quantidade de dias com. sem uma presença ilustre, sem um sorriso, sem uns tweets, sem umas conversas aleatórias, sem comentários em fotos, sem possibilidade de planejar viagens. com uma saudade inexplicável que em alguns dias aperta, esmaga e dilacera. a pior das saudades, a que tu precisa se conformar que não vai poder matar.

se eu fosse te dizer como vai tudo: todo dia é uma nova construção e vamos por aqui lembrando dos bons momentos pra dar a sensação de “tu viveu e fez viver”. as coisas se complicam as vezes, é difícil lidar com a própria dor, lidar com a dor de quem te criou é pior ainda. as pessoas continuam se odiando a troco de nada e nem todos os dias são bons. a tristeza vem de vez em quando e não quer mais sair, ainda bem que existem amigos e pessoas com muito amor pra dar, eles ajudam a beça.

é o dia com e o dia sem. é um dia par. foi um bom dia e um dia marcado. marcado em muitos sentidos. entre perdas e ganhos, entre vai e vem. a vida é um vai e vem, não é? nada é pra sempre.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.