Desejo Infinito

Diante de tantos outros santos caminhos…

São dias que se passam, horas que se desperdiçam, e várias incertezas que me tornam tão claramente ingênuo.


É carrasca a forma como os meus pés caminham seguindo minha própria sombra, porque nada mais importa, só importa pra mim, a forma como penso sobre o meu próprio eu. Um dia amei uma poesia de amor, que me confortava das maldades do mundo, desse mundo sincero e cruel… mas sem reclamações, há outras coisas para se discutir.

Meu amado sonho me disse para ir, sem objetivos fui, fui, voltei, e agora encontro-me indo novamente, porque esse é o propósito (diferente de um objetivo). Queria dizer que sou romântico, quando me torno sonolento, escrevo e me conforto com música. Queria dizer que amo Deus, amo estrada, e admiro a ideia de caminhar sem rumo algum, para descobrir as verdades de uma vida solitária. Mas não sou corajoso o suficiente para encarar tal precipício. Quero dizer que sou muito feliz e, todos os dias, agradeço, mesmo não dizendo, por tudo o que tenho e por tudo que ainda quero ter.

A um tempo atrás eu só me preocupava com o dia do amanhã, chorava no ombro das minhas preocupações. Hoje corro, cresço, mas ainda sim falta tudo, esse é o nosso problema. Quero deixar claro pra mim mesmo que tudo isso não passa de uma página, e que haja tinta o suficiente para eu e meu eu enfeitarmos, porque feliz será quem a entender por completo. Quero que as cores escolhidas se combinem perfeitamente, para que sejam apreciadas tanto na luz, quanto na escuridão. Quero que se namorem e sejam felizes, pois disseram-me que o amor é tudo, em alguns cenários.

Minha meta em todo sonho noturno é acordar e levantar para mais um belo dia apreciar, contanto que esteja tudo nos conformes e não caia nenhuma gota de lágrima de nenhum dos meus olhos. Gosto de amores e de aplausos, sou como o meu próprio signo me define, mesmo não acreditando em tais contos.

Quando olhei para meu reflexo, percebi que faltava pureza interna e pensamentos construtivos, algo que me empurrasse para o próximo nível, mas procrastinei tal combate à minha inimiga preguiça, me deitei e me obriguei a dormir novamente.

Quero me desculpar por ter sido tão ausente, por ter evitado lágrimas e, também, por ter me desviado das lições. Quero dizer que amo, apesar de ser e de não ser, sendo tudo e, ao mesmo tempo, absolutamente nada. Quero chorar um pouco no teu ombro sem saber o que vai acontecer depois, porque quero estar bem perto quando a primeira lágrima pesar ao chão, e quero que sinta que nada foi assim, tão superficial.

Quero também me sentar num banco em frente a uma tela branca, solitária, e pintar uma alegria vitoriosa, um desejo infinito, um amor vermelho e lhe dar uma rosa, para se lembrar de que todos os passados foram bem escritos… e esse não ia ser diferente!

Beijo-te mais uma vez, porque mais mil palavras não farão mais diferença, e também não expressarão todo o afeto que tenho por você, seja o que o você for.

Eu te amo!

Lucca Diniz