A bagunça do meu coração…

O problema é quando vem a madrugada, não é apenas “a madrugada’’, é algo a mais, é um vazio, uma crise existencial, emocional, é uma saudade de você e de todas as nossas conversas. É uma saudade da sua mão, da sua boca, do seu cheiro, dos teu abraços, é uma saudade sua, não é apenas de você, dos seus olhos, do seu cabelo ou da sua voz, também, mas não é só isso, é uma saudade da tua alma, uma saudade de te despir por completa, de te decifrar, de sentir teu interior. Sinto falta de nossas pernas entrelaçadas na cama em um dia chuvoso de quarta-feira. Saudades de observar você jogando video game e da sua cara de choro para que eu deixasse você ganhar, eu sinto falta de nós.

Mas você foi embora. Simples assim, foi embora, não deu adeus, um ultimo beijo, um ultimo abraço, simplesmente foi embora,e naquele momento, se eu tinha um coração, ele estava em pedaços. Quando chega a madrugada eu sinto que você não vai voltar, sinto que esta satisfeita com tão pouco que te oferecem, você não merece isso, você merece muito, merece transbordar. Mas lá no fundo, eu sinto que você ainda tem saudade de mim, de todas as vezes que eu liguei só pra ouvir sua voz, de todas as vezes que eu sai cedo do trabalho só pra te ver, de quando eu estava com sono mas fiquei acordado só pra te fazer companhia. Agora você me manda ser forte, mas é o motivo da minha fraqueza, eu tento disfarçar, mas não dá, eu juro que tento mas as vezes a dor vem com tanta força, que é quase inevitável não chorar, não sentir saudades.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.