Nós e o tempo: múltiplos infinitos

Outro dia discutia com um amigo o que seria maior que o tempo. Note que se estiver diante de um ponto, simplesmente, ele está em 1ª dimensão. Se desse ponto partirem 2 retas indo em direções diferentes, como a ponta de um retângulo, formando um plano, tem-se a 2ª dimensão. Caso um ponto fora dele possa ser ligado a esse plano de alguma maneira, é dada a 3ª dimensão. Se puder relacionar esse espaço que acaba de criar a horas, minutos e segundos, digamos que temos todas as ferramentas necessárias pra localizar qualquer coisa nesse espaço-tempo e quem sabe podemos chamar esse tempo de 4ª dimensão… mas o que pode superar o tempo? O que, de alguma maneira, pode transcender essa entidade sob a qual todos perecem?

Não venho pra contar o segredo do elixir da vida ou pra viagem no tempo; talvez você possa pelo menos começar esse ano com alguma esperança.

Se você fechar os olhos agora e pensar em 2017, o que vem à sua cabeça?

Felicidade?

Gratidão?

(Talvez esse ano possa até merecer um sorriso seu. Se ele merece, não se esqueça de sorrir.)

Dor?

Arrependimento?

Seja o que for! Se você conseguiu sentir alguma coisa ou lembrar alguma coisa, você conseguiu; você acaba de superar o tempo!

Somos todos perecíveis, temporários, afinal, só Deus sabe o que seria do mundo se o ser humano fosse eterno, se não fôssemos capazes de renovação. Mas também somos capazes de fazer algumas coisas que amamos durar enquanto durarmos; conseguimos criar nossos próprios infinitos.

Espero que seu 2017 tenha sido maravilhoso e que ele dure pra sempre em sua memória. Se não foi tão bom assim, você pode construir seu ano vivendo pra você e um dia de cada vez!

QUE SEJAMOS TODOS FELIZES NOS PRÓXIMOS 365 DIAS! Feliz Ano Novo! 🎊