Aos meus poucos e bons amigos

Resolvi fazer um pouco diferente esse ano e escrever algo sobre o dia de hoje, o Dia do Amigo.

Eu sempre tive muitos colegas, mas poucos amigos. Acho super válido termos ao nosso redor amigos, colegas, conhecidos e contatos profissionais, e cada um pode circular entre as categorias sem problemas. Não acho justo colocar todos no mesmo bolo. E na boa, quem nunca fez essa divisão natural?

Uma amizade se conquista com o tempo. Temos que conhecer mais do caráter, pensamentos, valores e tudo mais que faz com que depositemos muitas das nossas confissões e nossa vida na mão dessa pessoa.

Estamos em um momento onde todos são nossos amigos e brothers para a vida toda, basta adicionar nas redes sociais e pá, a mágica foi feita. Oi? Jura?

Pra mim, o que diferencia um amigo de todas as outras pessoas, é o ato da troca, da bondade e interesse em escutar e falar. Sim, simples assim. Faça um teste. Quem você chamaria para uma conversa sobre algo íntimo seu e/ou que gostaria de desabafar e pedir ajuda, e que essa pessoa estivesse disposta a isso? Contou mais de uma mão de possíveis pessoas? Sorte a sua! Contou menos? Tudo bem, é aceitavel e normal.

Eu nunca fui de manter contato diário com meus amigos, nunca foi preciso esse tipo de comunicação para sabermos que estávamos ali um para o outro, em qualquer momento, em qualquer situação, como já aconteceu. O que foi conquistado com o tempo, sinceridade e verdade, dificilmente se acaba ou não resiste a distância, a correria dos nossos dias e tudo mais, que infelizmente, faz a gente se afastar de quem mais gostamos.

Sabe aquela sensação de rever alguém e parecer que essa pessoa nunca saiu do seu lado? Pois é, isso pra mim vale muito, pois é a prova que nossas almas foram ligadas e conectadas de verdade.

Já conquistei amizades que me orgulho, já acabei com outras que me machucaram, mas sempre valeu a pena passar por tudo e conhecer pessoas que de alguma forma fizeram parte da minha vida, pois de cada uma tirei um aprendizado, tirei uma lição, peguei um pouco delas pra mim e espero que tenha dado um pouco de mim para elas também.

Sou uma amiga ausente, confesso! Não me orgulho de ser assim, mas ao mesmo tempo eu sou assim, é um perfil meu e sempre tento passar a segurança que mesmo com uma distância momentânea, meu coração está com cada um dos meus poucos e bons amigos. E se caso alguns não saibam disso ou tenham dúvidas, me desculpem. Mas a verdade é essa, levo vocês comigo. Com muito carinho, amor e gratidão. Rezando sempre para o melhor acontecer na vida de todos vocês!!

Aos meus poucos e bons, obrigada por tudo.

Assinado: Má, Gigante, Marys, Grandona, Mairão, Querida, Meu Amor, Maíra, Gi, Gigas, Girafinha, Maila, Juma…e outros tantos apelidos carinhosos que tenho por aí.