Medalha de ouro

Eu sou essa aí na rede. Essa pessoa com os braços pra cima, tentando sempre impedir que a bola passe, que a bola esteja do lado de cá da quadra. Por 8 anos, essa quadra, que tanto queria defender, foi a minha casa, foi a minha vida. Durante 8 anos esse esporte tão lindo chamado vôlei, me ensinou que obstáculos são para serem superados, que temos uma força interna absurda, que medos e receios existem, mas que nossa positividade e auto estima é maior que tudo. O vôlei me deu mais que força e determinação, ele me fez ser uma pessoa boa, alguém que valoriza o caráter. Alguém que não desiste na primeira falha, alguém que luta para conseguir o que quer, alguém que tem sonhos e vai em busca deles. O vôlei, o esporte, é algo divino. Queria eu que todos pudessem passar por uma experiência no esporte.

Hoje tem a final do vôlei masculino. É claro que a emoção é maior pra mim, entre todas as outras finais que tivemos nessa olimpíada. Talvez por eu entender a luta que é em chegar nessa posição, talvez por eu sentir a emoção de cada um e entender que para estar ali, muitas coisas foram deixadas pra trás, muitas dores no corpo foram suportadas e ainda são. Talvez por ter um amor e carinho por essa modalidade, que mesmo não fazendo parte da minha rotina hoje em dia, ela sempre fará parte da minha vida, pois muito de quem sou hoje, devo ao vôlei e a tudo que ele me deu na vida.

O meu muito obrigada a todos meus treinadores, colegas e amigas de quadra, toda a comissão técnica que passaram pelos times que passei, todas as broncas e elogios, todas as viagens e experiências, todas as risadas e olhares de confiança e parceria, obrigada aos meus pais e toda família por terem me apoiado sempre nessa vida corrida e cheia de emoção. Levo tudo muito bem guardado no coração e com a certeza que consegui tirar o melhor que o esporte pode dar: a paixão pelo que se faz, o amor pela conquista e o esforço em prol de algo maior, de algo desejado.

Nos dias de hoje, ainda eu estou de braços pra cima tentando defender todo mal ou dificuldades que tentam passar pro lado de cá. Ainda estou lá, lutando e me esforçando pra ganhar o jogo diário desse campeonato chamado vida. E que delícia competir e defender esse time chamado Maíra. E ter o apoio de todos que fazem parte do meu time, toda família, amigos e colegas que compõe essa equipe que foi escolhida a dedo pelo universo para compartilhar tudo isso comigo e eu com eles, agradeço também aos adversários, pois sem eles, eu não poderia exercer a superação.

Na boa, não tem razão para se reclamar nessa vida. Tudo depende de nós, só basta vestirmos a camisa e ir lá em quadra lutar para crescermos e sermos campeões.

Força Brasil, esse ouro é nosso! Força pessoas, o ouro de cada um está aguardando irmos lutar por ele.