Uma singela homenagem ás mães

Hoje é dia das mães. Não que todo dia não seja, mas hoje é aquele momento que saímos um pouco da rotina e pensamos nessas mulheres tão especiais em nossas vidas. É quando saímos do casulo da vergonha, aproveitando para falar de amor. Um amor grande, forte, puro e sincero. Um amor que não reconhece barreiras biológicas, um amor que gera gratidão pelo outro.

Eu acho notável como algumas mulheres se tornam guerreiras quando são mães, parece que a força surge com o sentimento de amor pelo filho. Muitas vezes elas enfrentam tragédias, miséria, dor, humilhação, cansaço e mesmo assim, se erguem. Se perguntarmos a elas como fazem isso, muitas irão dizer que fazem por amor aos filhos. Um amor pelo ser humano, um sentimento mais sublime, um amor bom, que não pede nada em troca. Um amor que se alimenta simplesmente do fato de ver o outro bem.

Eu como filha só posso dizer que sou grata pela mãe que tenho. Uma mãe que é uma parceira, alguém com quem posso contar, que faz o melhor por mim. Uma pessoa de grande importância na minha vida.

Se eu pudesse, gostaria de ter o poder de fazer você, mãe, se ver através dos meus olhos, para que você enxergasse quanto amor nutro por você e a minha admiração pelo potencial que sei que você tem. Você é muito mais do que pensa, e pode muito mais na vida, por favor, acredite em mim.

Eu como filha e mulher, vejo o quanto as mães são poderosas. Muitas vezes são fortalezas em suas famílias, outras vezes são professoras da vida. Algumas parecem meio carrascas, mas saibam que toda mãe dá o seu melhor e só por isso devemos ser gratos a elas. Às vezes não compreendemos, mas precisamos saber que elas nos deram a vida, contribuindo para ser o que somos hoje.

Nesse texto não me refiro apenas às mães biológicas ou adotivas, mas à todas as “mães” que aparecem em nossas vidas, sejam elas tias, primas, avós, amigas, professoras, pessoas que nos amam, cuidam de nós, dão carinho e aconchego, ensinam e nutrem um amor, um querer bem. Para mim isso é amor de mãe, é um cuidar, repleto de querer bem do outro.

Esse texto foi a forma que encontrei de fazer uma singela homenagem às mães do mundo inteiro, à minha mãe, e a todas que em algum momento da minha vida desempenharam esse papel. Aqui deixo minha gratidão à existência de vocês. Que vocês sejam faróis, pontos seguros e de luz na vida das pessoas.

Ana Luiza Moreira