[CADA DIA COM MEDO É UM DIA PERDIDO]

Amigo, você tá indo p’raquele lado?

Nós, mulheres, podemos e temos que nos fortalecer todo dia.
Dentro de cada uma de nós, e umas às outras.
Sermos útil, trocar ideias, trabalhar nossa auto-defesa.

Ninguém é babá ou motorista de ninguém, porém, temos escutado sobre camaradas homens que tem se recusado a acompanhar camaradas mulheres durante a noite em seus trajetos de locomoção, e até mesmo ridicularizado suas inseguranças e infantilizado a realidade.

Um lembrete aos homens: quando uma mina que você conhece te pergunta: êi, você tá indo pra’quele lado? Sim, ela está tentando te sinalizar que quer/precisa da sua companhia naquele momento.

Exercite sua empatia parça, e acima disso, lembre-se: nenhuma transformação social ocorrerá sem nossa atuação.
Cada vez que uma mulher é morta, violentada, abusada e subjugada, a revolução morre um pouco.
Cada mulher fragilizada, é uma mulher a menos na luta.
Cada dia com medo é um dia perdido.
Avante nessa porra.