Como um abraço pode mudar o seu dia

Até 2016 eu morava com minha família. Na minha casa não tínhamos muito o costume de se abraçar. Afinal tu vê aquela pessoa todo dia, sabe de todos os costumes e sabe que ela está sempre ali. Você conhece alguém que realmente dê um abraço duradouro? A não ser nas situações quando tu estás saindo para viajar?

Em 2015 fiquei noiva e resolvemos buscar um cantinho nosso. Foi aí que a vida começou a tomar um novo rumo, a saudade começa a ganhar forma e vai minimizando a cada ligação. O corre corre do dia a dia e o cansaço das poucas horas que sobram só te fazem querer chegar em casa e relaxar. As junções de família reduziram-se ao domingo.

De repente tu começa a notar a importância de todas as situações que já viveste e vive, com as pessoas maravilhosas que fazem parte da tua vida. E quanto tempo tu desfruta ao lado deles, será que a gente aproveita realmente com intensidade?

Pode parecer bobo, mas chegar em casa e receber um beijo e um abraço da pessoa que tu ama e passa longas horas sem estar perto, é bom e confortante.

Ainda assim, não parece o suficiente para sentir-se abrigado. Um beijo, um abraço, um olá tudo bem, ou aquele abraço na família aos domingos o que posso fazer quando preciso daquele abraço, quando tudo é tão novo e diferente, estamos longe e ao mesmo tempo sempre juntos em pensamento.

Esse sentimento sempre está presente, e quando assisti a campanha digital “Abraço Demorado” da Panvel farmácias (Rede do Sul do Brasil) mostrando que o simples ato de abraçar alguém querido te deixa mais feliz, mais saudável e bem humorado, naquele momento passei a valorizar ainda mais o abraço.

A campanha surgiu a partir de um estudo publicado na Revista Comprehensive Psychology. A pesquisa revelou que as pessoas têm seus níveis de ocitocina elevados depois de dar abraços duradouros. O filme trata do bem estar das pessoas ao ganhar abraços demorados ressignificando o ato de abraçar que atua como um bem estar natural no organismo.

Para desenvolver esta ação, foi realizado um encontro documentado entre pessoas que aceitaram se abraçar de maneira espontânea, e no segundo momento abraçaram-se por pelo menos 20 segundos. Ao longo das gravações, monitorando as reações observou-se que as pessoas se sentiram mais calmas e relaxadas ao se abraçarem por um tempo maior, além de terem os níveis de batimentos cardíacos reduzidos e relatarem a sensação de bem estar conforme a pesquisa indicava.

Então, 20 segundos é uma boa média para dar um abraço apertado? Confira essa linda história que mistura ciência e emoção e comece a experimentar a partir de hoje!

Por: Munique Fernandez