Os fascistas do dia 16.

A manifestação do dia 16 não retrata a realidade da maior parte da população Brasileira. Quem estava na rua eram os fascistas, a elite branca, os ultra-liberais e os saudosos da ditadura militar.

Os manifestantes falavam em crise e eu questiono, crise pra quem ? Com toda certeza do mundo, quem estava na rua no último dia 16 não é afetado pela crise. A crise só afeta a parte mais baixa da população brasileira, os trabalhadores, que todo dia enfrentam milhões de dificuldades para tocar a vida e sustentar a família. A crise não afeta os donos dos meios de produção que dia mais dia leva vantagem sobre o trabalhador com condições sub-humanas de trabalho e juros abusivos. Banqueiros e proprietários de grandes empresas não tem que se preocupar, não existe crise pra essa parcela da população, a não ser que crise implique não viajar todo mês para Miami por conta da alta do dólar.

O Governo Dilma Rousseff, que se diz trabalhista, já não se preocupa em esconder sua cara neoliberal. A Agenda Brasil de Dilma e Renan mostra isso claramente, as pautas do Governo são voltadas para a parte de cima. A insatisfação popular é fruto dos cortes realizados, da precarização de direitos trabalhistas e de políticas absurdas que nada contribuem para os trabalhadores desse país. Mas, são os próprios trabalhadores prejudicados que sabem que Dilma e o PT fizeram por eles nestes últimos 13 anos o que nenhum outro Governo fez em 502, sabem também que para concretizar-se a soberania de uma nação é preciso respeito ao Estado democrático de direito e as instituições, Dilma foi eleita democraticamente pela maioria da população, não cometeu nenhum crime de que se tenha provas judiciais, não violou a Constituição Federal e por isso deve (e vai) governar a República Federativa do Brasil até 31/12/2018.

Quem saiu nas ruas ontem não tem do que reclamar, continuam levando suas vidas calmamente, continuam com seus apartamentos no Leblon, nos Jardins, continuam batendo panelas enquanto outros procuram uma panela.

O retrato do dia 16 é claro, mostra a elite brasileira revoltada porque não pode mais importar tudo o que vê pela frente e não pode mais viajar à Miami todo mês. O recado foi dado, a elite não preza (nem nunca prezou) pelo bem da nação, eles se incomodam com distribuição de renda e ascenção social. Os trabalhadores devem também sair às ruas, devem lutar por mais direitos e sobretudo por respeito ao Brasil e a democracia. A elite branca e fascista não passará.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.