.

Ontem o Gregório do “Porta dos Fundos” publicou um texto o qual falava sobre seu relacionamento passado com a atriz e cantora Clarice Falcão. Esse texto que escrevo, inspirado na atitude do Gregório (independente de quais são suas motivações, intenções e se foi ou não antiético), é para dar um ponto final a uma coisa que estava presa aqui na garganta. É para finalmente ter meu “ponto final”.

Hoje, se ainda estivéssemos juntos, estaríamos fazendo 9 meses de namoro. Mas ao invés disso, estamos fazendo 5 meses separados. Honestamente? Não foi fácil. Jogar fora uma história muuuito complexa mas muito prazeirosa não é fácil. Nosso relacionamento foi como andar em uma montanha russa pela primeira vez.

Como uma primeira vez na montanha russa, embarcamos no nosso primeiro relacionamento com outra pessoa na vida (o que não faz esse texto ser fácil porque sempre serei sua primeira namorada e vc sempre será meu primeiro namorado). Encaramos uma enorme fila que quase nos fez desistir. Teve chuva, teve tempestade, mas no fim, o sol saiu e finalmente sentamos no carrinho da tal montanha russa. Ai ela começou a se mover. Tivemos o frio na barriga, na primeira vez que nos beijamos e nas nossas mãos dadas. Tivemos medo naqueles loopings bem loucos em momentos que brigamos ou não soubemos nos entender. Foi divertido, assustador, desbravador, intenso. Mas então aquela volta na montanha russa terminou. Tivemos que sair do carrinho e seguir com nossas vidas.

Cada um tem sua versão do porque acabou. Não posso nem me atrever a pensar de como você ficou e como está com tudo isso. Mas posso falar o que sei. Sei que te amei. Te amei muito, independente do que você ache. Tive um amigo como namorado e um namorado como amigo. Em dado momento, os dois se perderam e eu não sabia mais se era isso que queria. E então errei. Errei em tentar resgatar algo que não ia dar certo. Errei MUITO em te enrolar e procurar motivos pra ficar quando sabia que eu queria ir. E que tinha que te deixar ir. Então você foi e levou todas nossas lembranças.

Em algum momento, essas lembranças alegres se tornaram raiva pra você. Em algum momento, esse término de namoro se tornou o termino de tudo. Não que esperasse algo diferente, mas não esperava dessa forma. Já pedi desculpas por tudo que fiz de errado, mas não me importaria em fazer novamente caso não tenha sido clara ou honesta o bastante ao seu ver. Talvez um dia eu possa ou talvez as coisas continuem como estão: nos vermos mas sem nos falarmos. A única coisa que mais desejo com todo meu coração é que você seja feliz. Que encontre alguém que veja a pessoa maravilhosa que você é como eu vi, mas que saiba lidar melhor do que eu com as coisas que não agradavam. Alguém que te ame como você a ama. Que você possa perdoar e seguir em frente, sem mágoas e rancor, independente de quão fortes esses sentimentos sejam. Porque por mais que você negue esses sentimentos, suas atitudes gritam mais que palavras.

Não acho que conseguirei colocar um ponto final nisso. Nem tentarei. Mas utilizo esse texto, algo que você tanto preza, pra colocar um ponto final nos meus pensamentos e finalmente poder seguir em frente sem me preocupar mais se algum dia serei desculpada por não ter insistido ou por ter enrolado para dar um fim a algo que não estava mais funcionando com harmonia. Preciso de leveza na vida pra poder continuar. Eu sou assim.

As chances de você ler esse texto é uma em um milhão, mas caso aconteça, quero só dizer que gostaria de dar ao nosso “dary” um final mais digno, mesmo que não signifique estarmos juntos, mas que signifique estarmos felizes, onde quer que seja. Deus te abençoe hoje e sempre.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.