Exercício do dia: dê a seta

Eu não tenho carro, nunca tive e não pretendo ter, morando numa cidade como em São Paulo. No máximo, pensando em transporte único motorizado, eu teria uma moto. Ou uma Mobilete. Ou um patinete. Mas, provavelmente muitos não sabem pois nunca viveram essa experiência de andar de moto em uma cidade tão corriqueira, cheia e apressada como São Paulo.

É muito difícil, ruim e complicado andar de moto em São Paulo. Digo isso não porque eu li matérias, vi estatísticas ou algo do tipo. Digo isso porque vivencio isso todos os dias, na ida e na volta do trabalho, de segunda a sexta-feira. Mas vamos focar na ida (pois o fato curioso está nessa parte e chegarei lá mais pra frente). São cerca de 8km da minha casa até o trabalho, por volta das 9h da manhã. Por volta de 4 meses, foram cerca de 21 dias de trabalho por mês, chegando ao total de 84 dias trabalhados, ou seja, 84 idas. Dessas 84 idas, não teve UMA SÓ que algum motorista não praticou alguma irresponsabilidade no trânsito que pudesse prejudicar outra pessoa, segundo o instituto Natalia. Praticamente 100% dessas irresponsabilidades é a falta de SETA. Por volta de 100% das minhas idas ao trabalho nos últimos 4 meses percebi e muitas vezes fui prejudicada (eu e meu pai, que fique claro. Eu não dirijo moto, quem dirige é ele, há mais de 30 anos) por irresponsabilidade de motoristas que mudam de faixa como se estivessem no quintal de casa, dobram a esquina sem o menor aviso e, algumas vezes, como aconteceu hoje, mudam de faixa jogando o carro em cima do próximo (lê-se próximo a pessoa que está por vir logo atrás dele, no caso de hoje, eu e meu pai numa moto). Eu percebi que nesse caso, se não fosse a experiência do meu pai, eu iria escrever esse texto provavelmente de uma cama de hospital, por irresponsabilidade, falta de cidadania e respeito de um motorista de taxi.

E fiz esse textão também como um APELO aos motoristas: APRENDAM A DIRIGIR NA CIDADE! Tenham respeito ao próximo, um carro pode se tornar uma arma se não souber usar, portanto, usem com responsabilidade e cidadania. Atrás, aos lados, na frente, existem vidas que podem ser prejudicadas por uma falha sua que poderia ser evitada. Um exercício a praticar: quando entrar no carro, ao girar a chave na ignição, pense no próximo e no que vc pode evitar dirigindo hoje. Outro exercício: antes de mover o carro para os lados, certifique-se MESMO, COM TODA A CERTEZA ABSOLUTA, COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ, de que não há nenhum risco pra outra pessoa e pra você, antes de se movimentar.

Pensem no coletivo: se todos fizerem esse exercício todas as manhãs, muitos acidentes podem ser evitados, muitas brigas no trânsito podem não acontecer e as pessoas se tornarão mais cidadãs, aprendendo a respeitar o próximo.