Adeus ano velho… Feliz ano novo!

Chegamos ao fim de mais um ano e nossa, como passou rápido! Muita coisa aconteceu, muitas conquistas e algumas derrotas (ainda bem que foram poucas derrotas). Pensando nisso, nada melhor que usar o último dia do ano para fazer uma retrospectiva e avaliar tudo que aconteceu nesse ano que se foi.

Você me conheceu um pouco mais no post que fiz me apresentando, agora, se quiser, venha comigo! Esse post não tem absolutamente nada relacionado a assunto técnico. Vou continuar escrevendo os artigos da série “Destrinchando o Django”, continuarei escrevendo artigos sobre Python e tecnologia, mas o que conto a seguir é um resumo sobre o que aconteceu na minha vida em 2015.

Sobre o trabalho

Essa foi a parte do meu ano com maior número conquistas e desafios. Isso aconteceu, e acontece, graças ao amor que tenho pela minha profissão. Sim, eu amo ser programador!

No início desse ano eu estava trabalhando em uma empresa que já não estava mais alinhada com meus ideais e pensamentos. Essa enorme divergência não estava me fazendo bem. Como falei acima, eu amo o que eu faço e se não consigo fazer bem feito ou se o que estou fazendo não está me deixando feliz, significa que algo está muito errado.

Mas, como a vida é uma coisa engraçada, outra oportunidade estava me aguardando (cara, e que oportunidade maneira). Abracei a Finxi como se fosse minha e voltei a sentir prazer no que eu faço e o romance está ficando a cada dia mais forte. Espero que continue assim, pois estou trabalhando em um lugar que sinto muito orgulho. :)

Sobre os estudos

Já faz um bom tempo que eu venho me dedicando aos estudos. Livros e mais livros técnicos, assuntos diferentes, tudo junto ao mesmo tempo AGORA! É, não da certo! Eu estava assim até a pouco tempo, mas resolvi focar em poucas coisas e deixar de ser um programador generalista, algo que já deveria ter feito faz tempo.

Foquei meus esforços novamente no Python (basta me conhecer um pouco para saber que sou apaixonado por essa maravilhosa linguagem) e tropecei em uma pós graduação, voltando para a vida acadêmica. A pior parte nisso tudo foi conseguir voltar minha cabeça para o mundo acadêmico novamente pois, nós sabemos muito bem, que nem tudo que é mostrado nas universidades representam a realidade (em alguns casos nada representa a realidade). Mas, até que estou gostando e pretendo chegar ao fim da pós, fechando 2016 com chave de ouro nos estudos.

Sobre a vida

Quem me conhece sabe que, além de ser apaixonado por Python, sou apaixonado por motocicletas. Essa é uma paixão antiga… Na verdade foi um namoro que virou relacionamento e hoje deixou de ser paixão para virar amor! Tirei minha carteira de moto em 2014, mesmo ano que comprei minha primeira moto (foto abaixo).

Bandit 650 N — Primeira moto

Mas, em 2015, comprei minha segunda moto. Uma moto mais confortável para viagens longas com garupa. Ao mesmo tempo que ganhei em conforto, perdi em desempenho (antes eu tinha uma 650 com 4 cilindros e agora passei para uma 650 com 2 cilindros). Mas isso passou a ser secundário, o mais importante é o amor pelas estradas.

DL V-Strom 650

Além da nova moto, veio um plano! Uma viagem longa em duas rodas para 2016… Mais, isso é assunto para depois, em outro blog, outro post, outro tudo, não cabe detalhar isso aqui nesse canal. Se quiser saber mais sobre, curta o Facebook do Máquina & Estrada e siga as novidades que vou postar sobre essa viagem no Medium do Máquina & Estrada.

Em 2015, ganhei um novo afilhado, completei 12 anos junto com a mulher da minha vida, 3 anos de casado, 31 anos de vida (KCT, estou ficando velho), 8 anos como desenvolvedor e muito mais.

SOX!

Uma coisa que me deixou bem feliz esse ano foi a reunião da Sox, uma banda que fiz parte quando tinha meus 16/17 anos. A banda acabou, cada um seguiu seu caminho, ficamos velhos, o cabelo branco foi aparecendo e 12 anos depois do fim da banda, nos juntamos e fizemos um som!

Show da Sox em 2003 — Rock Rebouças

Foi muito gostoso fazer isso! Foi como voltar ao tempo de colégio! As brincadeiras bobas, as risadas, cerveja e até uma briga boba! Caramba, nós ficamos velhos mas continuamos a mesma coisa. Espero conseguir juntar a banda novamente em 2016 para fazer mais um som e jogar papo fora… Foi realmente foda isso!

Reencontro em 2015

Metas para 2016

Todo mundo faz uma lista de coisas para executar no próximo ano, mesmo que você não assuma, você também faz isso! rsrs

O problema não é fazer planos para o novo ano, e sim não cumprir os planos! Eu confesso que de 10 itens da minha lista para 2015, apenas uns 2 ou 3 itens eu conseguir concluir, sendo assim, vou focar em apenas duas ou 3 metas para 2016, assim fica mais fácil chegar ao fim do ano com a lista completa! :)

Obrigado 2015!

O ano de 2015 foi muito bom e estou certo que 2016 será ainda melhor. Tenho esperança que a economia do Brasil melhore, não que fique bom, mas que melhore.

De toda maneira, deixou aqui um MUITO OBRIGADO para todo mundo que acreditou em mim, que me ajudou e que esteve ao meu lado nesse ano! Que venha 2016 com mais novidade!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Fernando Valente’s story.